Educação Unicamp terá mutirão para receber alunos do Vestibular Indígena

Unicamp terá mutirão para receber alunos do Vestibular Indígena

Equipe de assistentes sociais fará uma avaliação das necessidades dos estudantes, que poderão receber bolsa auxílio para instalação

Unicamp: mutirão para receber estudantes indígenas

Unicamp: mutirão para receber estudantes indígenas

Divulgação

Os estudantes indígenas aprovados no Vestibular específico Unicamp 2019 que precisarem de algum tipo de bolsa serão atendidos num esquema de mutirão pelo Serviço de Apoio ao Estudante (SAE). O atendimento será na quarta-feira (20), data da confirmação de matrícula presencial da modalidade, no período da tarde. Uma equipe de assistentes sociais vai ocupar salas do Ciclo Básico 2 para realizar, no mesmo dia, o processo de avaliação social.

“A ideia é que o estudante com necessidade e apto seja contemplado com uma bolsa auxílio para sua instalação e outra de isenção da taxa de alimentação nos refeitórios”, afirma Bruna Mara Wargas, supervisora administrativa do SAE.  Segundo Bruna, os interessados receberão orientações, e haverá uma triagem, com verificação de documentos e entrevista. As assistentes sociais vão avaliar caso a caso. Foram oferecidas 72 vagas para o Vestibular Indígena e 66 estudantes já cumpriram a primeira etapa da matrícula online. Além dos indígenas os demais ingressantes também irão passar pelo processo seletivo social, um procedimento de rotina, nesse período imediato após a confirmação da matrícula.

Prevendo um acréscimo no número de estudantes interessados, um aumento expressivo de bolsas foi aprovado pelo Conselho Universitário. São R$ 40.735 milhões do orçamento de 2019 reservados para o Programa de Bolsas da Unicamp, segundo dados publicados pela Assessoria de Economia e Planejamento (Aeplan). De 2018 para 2019, a Bolsa Auxílio Moradia teve acréscimo de 22,40% e a Bolsa Auxílio Instalação (BAI), de 36%. Em 2018 também foi implementado o Benefício de Isenção da Taxa de Alimentação, que garante gratuidade no acesso ao restaurante universitário para todos os estudantes com renda bruta per capita inferior a 1,5 salários mínimos. No período que compreende 2016 a 2019, houve um aumento de 97% do benefício de bolsas moradia.

A pró-reitora de Graduação Eliana Amaral explica que o dinheiro destinado às bolsas sociais que a Unicamp oferece vem do orçamento da instituição, o que exige que o aluno esteja regularmente matriculado. Amaral comentou que a seleção dos alunos que têm direito ao benefício exige a confirmação de renda e o estudo das condições sociais familiares durante o processo seletivo. “Estamos incentivando a formação de grupos de apoio para receberem e também acompanharem nossos novos estudantes e temos visto um grande movimento de solidariedade e muita criatividade para responder a esse apoio inicial necessário”, afirmou.

Para facilitar os trâmites do processo seletivo social a Unicamp está enviando um email a todos os alunos que passaram no vestibular solicitando que aqueles que tiverem interesse em algum benefício que acessem o site do SAE com todas as informações detalhadas sobre as bolsas e documentos necessários e venham preparados para as entrevistas e entrega da documentação.

Com o novo perfil dos ingressantes 2019, que inclui estudantes aprovados no vestibular indígena, no vestibular Unicamp, e os selecionados pelo Enem, cotas e medalhistas, há uma preocupação com as possíveis dificuldades financeiras, acadêmicas e de adaptação ao ambiente universitário. "A Unicamp, através da Pró-Reitoria de Graduação e seus órgãos e serviços, tem realizado reuniões e discussões com representantes docentes e discentes para esclarecer os procedimentos e as possibilidades", destacou Amaral.

Últimas