Operação Lava Jato
Eleições 2016 Doria Jr. recebeu R$ 20 mil de empresa investigada na Lava Jato

Doria Jr. recebeu R$ 20 mil de empresa investigada na Lava Jato

Reportagem do jornal O Estado de S.Paulo indica nome de tucano em extrato da Link Projetos

Doria Jr. recebeu R$ 20 mil de empresa investigada na Lava Jato

Doria Jr. recebeu R$ 20 mil da Link depois da venda de um quadro

Doria Jr. recebeu R$ 20 mil da Link depois da venda de um quadro

Renato S. Cerqueira/18.08.2016/Futura Press/Estadão Conteúdo

O candidato do PSDB à Prefeitura de São Paulo, o empresário João Doria Jr., consta em um extrato bancário da empresa Link Projetos e Participações Ltda., alvo da força-tarefa da Operação Lava Jato.

O tucano teria recebido um cheque no valor de R$ 20 mil da firma em dezembro de 2013, segundo reportagem da página eletrônica do jornal O Estado de S.Paulo nesta sexta-feira (19).

Os procuradores do MPF (Ministério Público Federal) suspeitam que firma tenha sido usada pela empreiteira Engevix para pagar propina ao almirante Othon Luiz Pinheiro da Silva, ex-presidente da Eletronuclear. Ele está preso desde o ano passado.

Leia mais notícias de Eleições 2016

O candidato tucano à Prefeitura de São Paulo explicou, em nota, que o cheque de R$ 20 mil corresponde à venda de um quadro da galeria Pro Arte, no Jardim América, em São Paulo.

Um representante da galeria informou que Doria Jr. colocou um quadro do carioca Orlando Teruz (1902-1984) à venda por R$ 35 mil naquele ano — a pintura foi negociada. A Pro Arte não informou o nome do comprador.

Ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral), Doria Jr. informou um patrimônio de R$ 179,7 milhões, sendo R$ 34 milhões em obras de arte.

A força-tarefa descobriu o cheque com a quebra do sigilo bancário do período entre 2007 e 2015 da empresa Link Projetos. O documento de R$ 20 mil foi compensando em 5 de dezembro de 2013 em uma conta do tucano no Citibank.

Em acordo de delação premiada na Lava Jato, o dono da Link, Victor Sergio Colavitti, reconheceu que usou a empresa para pagar propina da Engevix ao almirante. Entre 2011 e 2013, a Engevix ganhou R$ 136,89 milhões da Eletronuclear em contratos.

A assessoria de Doria Jr. disse, em nota, que o candidato tucano ao governo da cidade de São Paulo não tem nenhuma relação com Colavitti. O tucano disse que não recebeu qualquer quantia da Link Projetos nem de Colavitti. Doria Jr. não é investigado pela força-tarefa da Lava Jato.