Eleições 2020 'Vencemos o projeto de ódio e mentira em São Paulo', diz Boulos

'Vencemos o projeto de ódio e mentira em São Paulo', diz Boulos

Candidato à prefeitura de SP pelo PSOL, Guilherme Boulos disse que irá atuar pela periferia e criticou atuação da atual gestão no combate à pandemia

  • Eleições 2020 | Fabíola Perez, do R7

Guilherme Boulos faz discurso em frente a sua casa, na zona sul de SP

Guilherme Boulos faz discurso em frente a sua casa, na zona sul de SP

Reprodução

O candidato Guilherme Boulos (PSOL) comentou na noite deste domingo (15) o resultado da apuração das eleições para prefeito na cidade de São Paulo. "Vencemos o projeto de ódio e de mentira que tentou se enraizar na cidade de são paulo. Para o 2º turno, temos uma onda de esperança", afirmou o candidato à administração municipal da frente de sua casa no bairro de Campo Limpo, na zona sul de São Paulo. 

A disputa eleitoral pela Prefeitura de São Paulo foi para segundo turno. O candidato Bruno Covas (PSDB) levou 32,85% dos votos válidos e vai disputar o principal posto da administração pública paulistana com Guilherme Boulos (PSOL), que teve 20,24%.

"Tinhamos 17 segundos de campanha", ressaltou. "Mesmo assim tivemos nesse 1º turno um resultado que suspreendeu muita gente. Imagine agora com tempo igual na televisão para que a gente possa apresentar nossa mensagem para São Paulo e para que a gente possa mostrar o abandono em que a cidade está."

Leia mais: "Vida pode ser com ou sem emoção", diz Barroso sobre atraso

O candidato comentou ainda sobre a pandemia do novo coronavírus como a cidade enfrenta o aumento no número de casos de covid-19. "Estamos num dos momentos mais graves de nossa história. São Paulo é a terceira cidade no mundo com mais mortes pelo coronavírus."

Em seu discurso, Boulos citou a candidata à vice-prefeita Luiza Erundina. "Erundina foi a melhor prefeita que São Paulo já teve, nordestina, que enfrentou as máfias na cidade. Hoje, ela decidiu compor comigo essa chapa para devolver esperança para a cidade."

Veja ainda: Eleitor tem 60 dias para justificar caso tenha problemas com e-Título

Boulos afirmou também que irá atuar, sobretudo, pela periferia da cidade. "Não sou daqueles que aparece na perfieria de quatro em quatro anos para fazer falsa promessa", afirmou. "O que mais me contagiou foi ver que é possível fazer política sem desistir dos sonhos, com brilho nos olhos e com verdade."

Últimas