Internacional Acionistas processam diretoria da Boeing por acidentes do 737 MAX

Acionistas processam diretoria da Boeing por acidentes do 737 MAX

Juiz dos EUA aceitou denúncia que afirma que os responsáveis deixaram a segurança de lado para focar na produção rápida

Agência Estado
Os Boeing 737 MAX foram impedidos de voar após os acidentes na Indonésia e Etiópia

Os Boeing 737 MAX foram impedidos de voar após os acidentes na Indonésia e Etiópia

Gary He / EPA - EFE - 21.7.2019

O conselho da Boeing deve enfrentar uma ação judicial de acionistas que alegam que os diretores da fabricante de aviões não monitoraram adequadamente questões de segurança antes da queda de dois jatos 737 MAX na Indonésia e Etiópia, de acordo com a decisão de um juiz de Delaware.

Leia também: Boeing omitiu falhas e é culpada por acidentes com 737 Max, dizem EUA

"Em vez de priorizar a segurança, os réus emprestaram sua autoridade de supervisão à agenda da Boeing de produção rápida e maximização de lucros", disse o vice-chanceler do Tribunal de Chancelaria de Delaware, Morgan Zurn, ao aceitar as reivindicações do processo.

A Boeing, que buscava encerrar o caso, pode apelar da decisão do juiz. Um porta-voz disse que a empresa revisaria a opinião do juiz de perto enquanto considerava seus próximos passos.

O juiz também afirmou, em sua decisão, que o conselho da Boeing "mentiu publicamente sobre se e como monitorava a segurança do 737 MAX".

Últimas