Internacional Alexei Navalny anuncia que voltará à Rússia no domingo (17)

Alexei Navalny anuncia que voltará à Rússia no domingo (17)

Opositor de Putin foi envenenado em 2020 e foi levado para a Alemanha para ser tratado e garante que está bem para retornar

  • Internacional | Da EFE

Yuri Kochetkov - EFE/EPA 29.02.2020

O líder opositor russo Alexei Navalny, que acusou o presidente Vladimir Putin de ter ordenado seu envenenamento, em agosto do ano passado, anunciou nesta quarta-feira (13) que viajará da Alemanha, onde estava se recuperando, para a Rússia no próximo domingo.

"No domingo, dia 17 de janeiro, voltarei para casa em um voo da (companhia aérea) Pobeda", afirmou o político nas redes sociais Twitter e Instagram.

Navalny, que foi tratado em uma clínica em Berlim após ser envenenado com uma substância tóxica do tipo Novichok, uma arma química desenvolvida na União Soviética, garantiu que está em condições físicas para voltar à Rússia.

"Entendi que chegou o momento que tanto esperava: estou quase saudável e posso, enfim, voltar para casa", declarou o opositor russo.

De acordo com Navalny, não retornar à Rússia nunca foi uma opção, já que não deixou o país por vontade própria.

"Cheguei à Alemanha em uma unidade de reanimação porque tentaram me matar. Sobrevivi. E agora Putin, que ordenou meu assassinato, instrui, de seu bunker, seus servos a fazerem de tudo para que eu não volte. Os servos agem como sempre: fabricam casos penais contra mim", denunciou.

O líder opositor se referia ao pedido do Serviço Penitenciário Federal da Rússia para que os tribunais apliquem uma pena de prisão contra ele.

A solicitação busca converter em uma pena real os três anos e meio de prisão suspensos que a justiça impôs a Navalny em 2014 devido a um caso de suposta fraude e lavagem de dinheiro para a empresa Yves Rocher Vostok.

"Não me interessa o que ele fazem. A Rússia é o meu país e Moscou é a minha cidade, tenho saudades", escreveu.

Para Navalny, "tudo o que Putin precisa é montar um telão no Kremlin com a legenda: 'Alexei, por favor, não volte'.

Últimas