Internacional Aliados de Keiko buscam OEA para provar fraude nas eleições no Peru

Aliados de Keiko buscam OEA para provar fraude nas eleições no Peru

Grupo político de direita contesta apuração que terminou com a vitória de Pedro Castillo por mais de 40 mil votos

  • Internacional | Da Efe

Sebastian Castaneda/Reuters - 11.4.2021

Um grupo de políticos de direita peruanos aliados a Keiko Fujimori solicitou neste sábado (27) uma reunião com o secretário-geral da OEA (Organização dos Estados Americanos), Luis Almagro, para apresentar irregularidades que teriam ocorrido durante as eleições presidenciais de 6 de junho.

Em uma nota assinada pelo ex-primeiro-ministro Jorge del Castillo, a assessora jurídica de Keiko, Lourdes Flores, e a deputada eleita Adriana Tudela, filha de Francisco Tudela, vice-presidente de Alberto Fujimori, entre outros, o grupo solicita "uma reunião informativa" para apresentar "as últimas conclusões" sobre a suposta fraude no pleito.

Nenhum órgão internacional de observação eleitoral, incluindo a própria OEA, encontrou vestígios de irregularidades nas eleições. A apuração terminou há mais de uma semana com derrota de Keiko, da Força Popular, para Pedro Castillo, do partido Peru Livre, por mais de 40 mil votos.

Além disso, a OEA afirmou na última quinta-feira que verificou que os desafios aos resultados da votação que o grupo pró-Keiko está pressionando para anular cerca de 200 mil votos em áreas rurais e camponesas que apoiaram Castillo esmagadoramente estão sendo realizados "de acordo com a lei e os regulamentos em vigor".

O grupo de políticos já realizou uma coletiva de imprensa na última quinta-feira na qual pediu para a OEA fazer uma auditoria das eleições e pressionou o presidente interino Francisco Sagasti a solicitar esta análise.

A Missão de Observação Eleitoral da OEA, liderada pelo ex-Ministro das Relações Exteriores do Paraguai Rúben Ramírez, continua monitorando ininterruptamente a crise eleitoral peruana desde que chegou ao país, antes do dia das eleições.

Últimas