Internacional Amazônia colombiana tem janeiro mais quente da última década

Amazônia colombiana tem janeiro mais quente da última década

Segundo autoridades, forte seca que atinge o país sul-americano pode ter contribuído para registro recorde

AFP
Floresta Amazônica está presente em nove países da América do Sul

Floresta Amazônica está presente em nove países da América do Sul

Carl de Souza/AFP

O primeiro mês de 2022 foi o mais quente na Amazônia colombiana na última década, segundo um relatório oficial recebido pela AFP nesta sexta-feira (4). 

De acordo com o Ministério do Meio Ambiente, janeiro registrou o "maior número de focos de calor nos últimos dez anos para os biomas da Amazônia". O fenômeno ocorre, acrescenta a pasta, quando o país passa por uma época de escassez de chuvas. 

O fenômeno se deve "às atividades antrópicas, ou seja, às atividades humanas, sendo as mais significativas aquelas associadas às frentes de desmatamento", acrescenta o relatório.

Pelo menos 80% desses "focos de calor" são incêndios florestais, disse um porta-voz do ministério à AFP. A porcentagem restante inclui aquecimentos a óleo, chaminés e fornos industriais. 

Até o final de janeiro, a pasta do Meio Ambiente registrou mais de 3.300 focos de calor com altas temperaturas distribuídos nos seis departamentos que compõem a Amazônia colombiana. O mais afetado é Guaviare, com pelo menos 1.300. 

Segundo depoimentos colhidos pela AFP em outubro de 2021 na região, camponeses e latifundiários aproveitam a estação seca para incinerar as árvores que cortaram anteriormente para plantar folhas de coca ou abrir pastos. 

A Serranía del Chiribiquete, declarada Patrimônio da Humanidade pela Unesco e que possui proteção especial de conservação, é uma das áreas mais afetadas. Também sofre a Reserva Natural Nacional Nukak, um vasto território de floresta habitado pelos últimos povos indígenas nômades contatados da Colômbia. 

A Fundação para a Conservação e Desenvolvimento Sustentável, que mantém a sua própria contagem, registou pelo menos 938 incêndios florestais, o número mais elevado para o mês de janeiro desde 2012. 

Vídeos compartilhados nas redes sociais por essa ONG, especializada em monitorar o desmatamento, mostram grandes camadas de fumaça e chamas na selva densa. 

A Amazônia é a região mais desmatada da Colômbia — 63,7% da destruição florestal está concentrada nesta parte do sensível ecossistema sul-americano compartilhado por nove países.

Últimas