Internacional Ataque a escola em Camarões mata 8 crianças e fere vários, diz ONU

Ataque a escola em Camarões mata 8 crianças e fere vários, diz ONU

Escritório da ONU para a Coordenação de Assuntos Humanitários (OCHA)  classificou o atentado como "pior atrocidade"

  • Internacional | Do R7

Sala de aula vazia após tiroteio

Sala de aula vazia após tiroteio

Tamfu Ciduan Ndimbie / My Media Prime TV / via REUTERS

Atacantes invadiram a escola Mother Francisca International Bilingual Academy, na cidade de Kumba, ao sudoeste dos Camarões, na África, e mataram ao menos oito crianças, ferindo mais de uma dúzia com armas e facões por volta do meio-dia deste sábado (24), de acordo com as Nações Unidas.

Os atacantes teriam chegado à escola usando motocicletas e vestidos de civis. Não houve reclamação imediata de responsabilidade pelo ataque, descrito pela ONU como “a pior atrocidade” desde a retomada do ano letivo no início deste mês.

Não ficou claro se o ataque estava relacionado a uma luta contínua entre as forças do governo e grupos armados no oeste que buscam formar um estado separatista.

Leia mais: Camarões lidera lista de crises esquecidas no mundo, aponta ONG

“Pelo menos oito crianças foram mortas em conseqüência de tiros e ataques com facões. Outros doze ficaram feridos e levados para hospitais locais ”, disse o Escritório da ONU para a Coordenação de Assuntos Humanitários (OCHA) em um comunicado.

Matthias Z. Naab,  coordenador humanitário residente da ONU em Camarões, expressou sua revolta com o atentado:

“As crianças têm direito à educação. A violência contra escolas e crianças inocentes em idade escolar não é aceitável em nenhuma circunstância e pode constituir um crime contra a humanidade se for provada em tribunal. Peço às autoridades competentes que conduzam uma investigação completa sobre esta tragédia ”, acrescentou.

O Presidente da Comissão da União Africana, Moussa Faki Mahamat, disse: "Não há palavras de pesar ou condenação fortes o suficiente para articular meu completo horror ao ataque brutal que atingiu crianças do ensino fundamental, matando pelo menos 6 delas e ferindo gravemente outras 13, enquanto elas aprendiam em sua sala de aula".

Últimas