Rússia x Ucrânia

Internacional Ataque contra shopping na Ucrânia deixa dez mortos e mais de 40 feridos

Ataque contra shopping na Ucrânia deixa dez mortos e mais de 40 feridos

Centro comercial em Kremenchuk ficaria longe de qualquer área de confronto entre tropas dos dois países, segundo ucranianos

AFP

Resumindo a Notícia

  • Autoridades afirmaram que o ataque ao shopping em Kremenchuk deixou dez mortos
  • Ao menos 40 pessoas ficaram feridas após mísseis russos atingirem o centro comercial
  • Prefeito de Kremenchuk, Vitali Maletsky, disse que shopping não fica perto de área de combate
  • Presidente da Ucrânia, Volodmir Zelenski, afirmou que mais de mil pessoas estavam no local
Segundo Volodmir Zelenski, mais de mil pessoas estavam no local no momento do ataque

Segundo Volodmir Zelenski, mais de mil pessoas estavam no local no momento do ataque

STR/Ukraine Emergency Ministry Press Service/AFP - 27.6.2022

Pelo menos dez pessoas morreram e mais de 40 ficaram feridas pelo impacto de um míssil russo em um centro comercial do centro da Ucrânia nesta segunda-feira (27), anunciou o governador regional, alertando para o possível agravamento desse saldo.

"Dez mortos e mais de 40 feridos. Esta é a situação atual em Kremenchuk devido a ataque com um míssil", disse Dmytro Lunin, que chefia o governo regional de Poltava.

"Os ocupantes dispararam um míssil contra um shopping onde havia mais de mil civis. O shopping está em chamas, e as equipes de resgate combatem o fogo. O número de vítimas é impossível de imaginar", escreveu mais cedo, no Facebook, o presidente ucraniano, Volodmir Zelenski.

O mandatário ucraniano acompanhou sua mensagem com um vídeo que mostra o centro comercial pegando fogo, com grandes colunas de fumaça e caminhões dos bombeiros.

Segundo a Força Aérea da Ucrânia, o shopping foi atacado com mísseis Kh-22 disparados a partir de bombardeiros de longo alcance Tu-22 da região russa de Kursk.

"O tiro de míssil em Kremenchuk atingiu um local muito movimentado sem nenhuma relação com as hostilidades", denunciou no Facebook Vitali Maletsky, prefeito da cidade, que tinha 220 mil habitantes antes da guerra.

"Há mortos e feridos. Mais detalhes chegarão", acrescentou.

O governador regional, Dmytro Lunin, denunciou um "crime de guerra" e um "crime contra a humanidade", bem como um "ato de terror não dissimulado e cínico contra a população civil".

Últimas