Internacional Autoridades anunciam libertação de estudantes sequestrados na Nigéria

Autoridades anunciam libertação de estudantes sequestrados na Nigéria

Grupo jihadista Boko Haram assumiu autoria do sequestro após atacar escola. Jovens serão atendidos por médicos antes de reencontrarem famílias

Estudantes sequestrados foram libertados

Estudantes sequestrados foram libertados

Afolabi Sotunde/Reuters - 18.12.2020

Sequestrados no dia 11 de dezembro, após um ataque a uma escola localizada no noroeste da Nigéria, 344 estudantes foram libertos na quinta-feira (17), segundo informaram as autoridades.

O grupo jihadista Boko Haram assumiu a autoria do sequestro dos alunos após o ataque contra a Escola Secundária de Ciências do Governo, um colégio masculino na cidade de Kankara, no estado de Katsina.

Em declarações à imprensa local, o governador Aminu Masari afirmou que os estudantes estavam em um bosque em Tsafe, no estado vizinho de Zamfara, desde que foram sequestrados por homens armados.

Os alunos estão a caminho de Katsina, aonde devem chegar nesta sexta-feira (18), e a expectativa é que se reúnam com as respectivas famílias após passarem por avaliações médicas.

"Estamos muito felizes de anunciar o resgate dos meninos de Kankara de seus sequestradores. Os 344 estão agora com as agências de segurança e serão transferidos a Katsina nesta noite", afirmou o governador no Twitter.

"Eles receberão atendimento e cuidados médicos adequados antes de se reunirem com as famílias", acrescentou Masari, sem entrar detalhes sobre a liberação dos estudantes.

Em mensagem no Twitter, o presidente da Nigéria, Muhammadu Buhari, deu "boas-vindas à libertação dos estudantes sequestrados".

"Este é um grande alívio para todo o país e a comunidade internacional. Todo o país agradece ao governador Masari, às agências de inteligência, ao Exército e à Polícia", comentou Buhari.

A libertação foi anunciada horas após o Boko Haram publicar um vídeo que supostamente mostra vários dos mais de 300 estudantes sequestrados.

No vídeo, de seis minutos e meio, os sequestradores garantiam que os estudantes - alguns deles chorando - estavam bem de saúde, segundo o portal especializado em conflitos HumAngle.

Últimas