Internacional Bebê desaparecido no aeroporto de Cabul reencontra família

Bebê desaparecido no aeroporto de Cabul reencontra família

Em agosto, Sohail Ahmadi foi entregue a um soldado entre a multidão apavorada com a retomada do Talibã no Afeganistão

AFP
Uma parente de Sohail Ahmad brinca com ele na casa de seu avô em Cabul

Uma parente de Sohail Ahmad brinca com ele na casa de seu avô em Cabul

Mohd Rasfan/AFP - 09.01.2022

O bebê Sohail Ahmadi, entregue a um soldado estrangeiro, havia desaparecido em 19 de agosto durante o caos no aeroporto de Cabul, após a retomada do Talibã no Afefanistão. Na semana passada, a criança reencotrou sua família após cinco meses. 

Sohail, então com dois meses de idade, foi entregue por seu pai para um soldado, entre a multidão apavorada com a chegada do grupo extremista ao poder.

O pai e a criança foram separados. Apesar de suas buscas intensas, foi impossível para Mirza Ali Ahmadi resgatar seu bebê. Foi um taxista, Hamid Safi, que o encontrou chorando e abandonado no chão do aeroporto.

Pai de Sohail Ahmadi o entrega a um soltado americano

Pai de Sohail Ahmadi o entrega a um soltado americano

Omar Haidari/via Reuters - 19.8.2021

“Procurei a família dele”, disse o jovem de 29 anos, que havia ido ao aeroporto para deixar o próprio irmão, que deveria ser retirado do país. "Então liguei para minha esposa, que me disse para trazer o bebê para casa".

O casal afirmou ter procurado sem sucesso os pais da criança. Eles o chamaram de Mohamad Abed e começaram a criá-lo.

“Se não tivéssemos encontrado sua família, o teríamos protegido e criado como nosso próprio filho”, explicou Hamid Safi.

Por três dias, o pai biológico de Sohail procurou seu filho no aeroporto lotado. Desesperado, o ex-agente de segurança da embaixada dos Estados Unidos partiu com sua esposa e outros quatro filhos para o país.

Em agosto, o aeroporto de Cabul foi tomado por afegãos ansiosos para deixar a cidade, ao mesmo tempo que as últimas tropas ocidentais deixavam o Afeganistão, após 20 anos de guerra.

Vários afegãos temiam o retorno do Talibã ao poder, relembrando o regime cruel da década de 1990 ou temendo represálias contra colaboradores do governo anterior ou forças estrangeiras.

"Como se fosse sua mãe"


Só na semana passada a família de Sohail conseguiu encontrar o bebê em Cabul, com a ajuda das redes sociais e da polícia.

O menino foi entregue ao avô, uma separação dolorosa para o casal Safi e suas três filhas. “Eu me senti responsável por ele, como se fosse sua mãe”, explicou Fatimah Safi, de 27 anos. "Ele tinha o hábito de acordar durante a noite (...) Agora quando eu acordo, ele não está lá, e isso me faz chorar."

“Sou mãe. Entendo que nem sempre ela estará conosco e que precisa dos pais”, continuou a mulher.

O marido admitiu que "foi muito difícil" devolver o bebê. No domingo, o avô de Sohail, Mirza Mohamad Qasemi, convidou a família Safi para sua casa em Cabul para compartilhar alguns momentos com o menino.

“Cuidaram dele durante cinco meses e foram muito apegados a ele”, confidenciou à AFP, embora acrescentou que os Safi inicialmente relutaram em devolver o bebê.

Qasemi, que também procurava seu neto, agora diz que está animado com a ideia de que Sohail possa se reunir com seus pais nos Estados Unidos. Eles entraram em contato com as autoridades dos EUA, mas o procedimento vai ser longo.

"Foi difícil para minha filha. Ela chorava e não comia nada", disse Qasemi, enxugando as lágrimas enquanto observava Sohail adormecido nos braços de Fátima. Até que Sohail se reúna com seus pais, sua tia cuidará dele.

Ao telefone, o pai não escondia a alegria: "estivemos muito tristes nestes últimos cinco meses (...) Mas quando encontramos o nosso bebê ficamos felizes, porque Deus nos deu o nosso filho de volta."

Relembre a derrota dos EUA e a ascensão do Talibã no Afeganistão

Últimas