Internacional Biden nomeará Antony Blinken como secretário de Estado, diz fonte

Biden nomeará Antony Blinken como secretário de Estado, diz fonte

Além de amigo do presidente eleito, Blinken era nº 2 do Departamento de Estado e vice-conselheiro de Segurança Nacional no governo Obama

Reuters
Biden pode anunciar amigo como Secretário de Estado

Biden pode anunciar amigo como Secretário de Estado

Henry Romero/Reuters - 30.4.2015

Joe Biden nomeará Antony Blinken como secretário de Estado norte-americano, disse uma pessoa próxima da equipe de transição do presidente eleito dos Estados Unidos no domingo (22), promovendo um de seus assessores mais experientes e dignos de confiança enquanto se prepara para desmantelar a política externa do presidente Donald Trump.

Blinken é um confidente de longa data de Biden que atuou como número dois do Departamento de Estado e como vice-conselheiro de Segurança Nacional no governo do presidente Barack Obama, do qual Biden foi vice-presidente.

Um segundo aliado do Biden disse que Blinken foi a primeira escolha do presidente eleito. Um anúncio é provável na terça-feira (24).

A indicação de Blinken torna outro aliado antigo de Biden com experiência em política externa, Jake Sullivan, o principal candidato a conselheiro de Segurança Nacional dos EUA, disse a primeira fonte. A Bloomberg News foi a primeira a notícias os prováveis cargos novos.

A equipe de transição de Biden não quis comentar. Nem Blinken, nem Sullivan responderam a pedidos de comentário.

Discurso diferente de Trump

Embora nenhum deles seja um nome consagrado, Blinken e Sullivan ajudaram Biden a formular uma estratégia que incluirá uma aproximação imediata de aliados norte-americanos que Trump antagonizou com frequência com sua abordagem "A América Primeiro" e para demonstrar a disposição de trabalhar junto em grandes questões globais, como a epidemia de coronavírus e seus desdobramentos econômicos.

Biden prometeu reintegrar os EUA a um acordo nuclear com o Irã se este voltar a obedecer o pacto, retornar ao acordo climático de Paris, descartar os planos de desfiliação da Organização Mundial da Saúde (OMS) e acabar com uma regra norte-americana que proíbe o financiamento de grupos de assistência que debatem o aborto. Cada medida reverteria políticas de Trump, e algumas podem ocorrer rapidamente depois que Biden tomar posse no dia 20 de janeiro.

Também é provável que o democrata nomeie Linda Thomas-Greenfield como embaixadora na Organização das Nações Unidas (ONU), relataram veículos de notícias no domingo. Thomas-Greenfield é negra, especializada em política africana e ocupou um cargo diplomático de alto escalão na gestão Obama.

Blinken, de 58 anos, defende há tempos a ideia de que os EUA precisam exercer uma liderança ativa no mundo, engajando-se com seus aliados, ou verão este papel ser assumido por países com interesses contrários, como a China.

Últimas