Internacional Bolívia rejeita mudança constitucional que permitiria quarto mandato de Evo Morales

Bolívia rejeita mudança constitucional que permitiria quarto mandato de Evo Morales

Com 99% das urnas apuradas, o 'não' havia derrotado o 'sim' por 51,3 a 48,7%

Bolívia rejeita mudança constitucional que permitiria quarto mandato de Evo Morales

Presidente da Bolívia, Evo Morales, deixa entrevista coletiva no palácio presidencial em La Paz

Presidente da Bolívia, Evo Morales, deixa entrevista coletiva no palácio presidencial em La Paz

Reuters

O presidente da Bolívia, Evo Morales, perdeu o referendo que perguntava se poderia mudar a Constituição para concorrer a um quarto mandato, confirmou a comissão eleitoral no final de terça-feira (24).

Morales, que se tornou o primeiro presidente indígena da Bolívia em 2006 e cumpre seu terceiro mandato, tentou persuadir os bolivianos de que deveria ter o direito de se candidatar novamente em 2019.

Entretanto, mesmo ainda contando com o apoio sólido dos que creditam a ele ter reduzido acentuadamente a pobreza no país, o mandatário acabou pagando o preço das acusações de corrupção e de favorecimento que assombraram seu partido socialista, e também pelo temor de que a manobra fosse antidemocrática.

Com 99% das urnas apuradas, o 'não' havia derrotado o 'sim' por 51,3 a 48,7%, disse a comissão eleitoral, acrescentando que os votos ainda a serem computados não bastam para afetar o resultado geral.

Esse desfecho parecia provável desde as primeiras pesquisas de boca de urna de domingo, mas Morales e seu governo insistiam que ele ainda podia mudar depois que os votos das áreas rurais e do exterior fossem levados em conta.

Evo Morales é filmado mandando assessor amarrar seu sapato e vídeo gera polêmica. Assista