Internacional Brasileiros que vivem na Turquia relatam medo durante terremoto

Brasileiros que vivem na Turquia relatam medo durante terremoto

Forte tremor derrubou prédios, deixou centenas de feridos, matou pelo menos 14 e causou pequeno tsunami que alagou algumas áreas

  • Internacional | Pablo Marques, do R7

Diversos prédios em Izmir desabaram após o terremoto desta sexta

Diversos prédios em Izmir desabaram após o terremoto desta sexta

Mehmet Emin Menguarslan/EFE - 30.10.2020

O terremoto de 7 graus na escala Richter que teve como epicentro o fundo do mar Egeu fez tremer cidades na Turquia e na Grécia nesta sexta-feira (30). Brasileiros que vivem em Izmir, na Turquia, relatam momento de tensão e medo durante os segundo em que tudo chacoalhou.

Forte terremoto atinge Turquia, derruba prédios e deixa mortos

Eduardo Santaela, 39 anos, vive no país há 7 anos e afirma ter passando por outras experiências com terremotos, mas nunca com a intensidade de hoje. "Nas últimas vezes, eu fiquei na dúvida se era um terremoto mesmo. Desta vez, eu vi tudo balançando de um lado para o outro. A sensação é de estar em um barco em alto mar."

Eduardo Santaela vive há 7 anos na Turquia

Eduardo Santaela vive há 7 anos na Turquia

Arquivo pessoal

Ele, a mulher e o filho, de 1 ano, não tiveram ferimentos, mas ficaram assustados. "Eu fiquei sem reação na hora do terremoto. A orientação das autoridades é evacuar o local imediatamente, mas eu não consegui fazer isso. Eu fui até o quarto do meu filho, vi minha esposa tentado segurar as coisas que caiam da prateleira e fiquei uns 15 ou 20 segundos paralisado", lembra Eduardo.

Eduardo conta que próximo do bairro onde vive com a família, dois prédios caíram, mas seriam construções mais antigas e com estruturas não tão resistentes.

O prefeito de Izmir informou que cerca de 20 edifícios foram ao chão. As equipes de resgate trabalham na busca de vítimas. Até o o início da tarde, foram contabilizadas 14 mortes e o número de feridos passa de 400.

'Terremoto mais forte'

Na mesma cidade, Thainara Esteves, 24 anos, enfrentou o que considera ter sido "o terremoto mais forte que sentiu" sozinha em casa. O marido estava trabalhando na padaria da família e ela, conversando com uma amiga por vídeo chamada quando o tremor de terra começou.

Thainara Esteves vive há um ano e meio na Turquia

Thainara Esteves vive há um ano e meio na Turquia

Arquivo pessoal

"Eu gritei 'terremoto' e corri para desligar a chamada porque fiquei muito desesperada", conta a jovem que vive na Turquia há um ano e meio.

Ainda enquanto a TV e outros objetos da casa tremiam, Thainara decidiu descer do prédio por medo de ocorrer um desabamento. "Eu não sabia o que fazer. Eu até peguei o elevador para descer do prédio, porque não sabia que era melhor ir pela escada."

A população local também teve que lidar com alguns pontos de alagamento. A intensidade do tremor foi suficiente para provocar um pequeno tsunami que fez o nível da água do mar subir e invandir área próximas da praia.

Segundo o Consulado-Geral do Brasil em Istambul, as autoridades locais criaram pontos de encontro para emergências onde as pessoas podem buscar ajuda e também se informar. A página do órgão também tem um guia sobre o que fazer em situações de terremoto.

Veja images de momentos logo após o terremoto:

Últimas