Casas de diplomatas brasileiros são atingidas por estilhaços em Beirute

Ministério das Relações Exteriores afirma que 'acompanha com atenção os acontecimentos na cidade e está pronto para prestar assistência consular'

Região portuária de Beirute foi atingida por explosões nesta terça-feira (4)

Região portuária de Beirute foi atingida por explosões nesta terça-feira (4)

Mohamed Azakir/Reuters - 04.08.2020

Casas de diplomatas brasileiros foram atingidas por estilhaços das explosões na região portuária de Beirute, capital do Líbano, nesta terça-feira (4). A informação foi confirmada pela reportagem do R7 por meio de fontes do governo federal. Até o momento, segundo o Ministerio das Relações Exteriores, não há informações de brasileiros feridos ou mortos. 

Por meio  de nota, a pasta comandada pelo ministro Ernesto Araújo afirmou que "acompanha com atenção os acontecimentos na cidade e está pronto para prestar a assistência consular cabível. Não há, até o momento, notícia de cidadãos brasileiros mortos ou gravemente feridos."

O Itamaraty disse, ainda, que segue acompanhando a situação por meio da Embaixada do Brasil em Beirute, em coordenação com a DAC (Divisão de Assistência Consular), em Brasília. 

Segundo o ministro da Saúde do Líbano, Hamad Hassan, em entrevista a TV Al Jazeera, ao menos 73 pessoas morreram e 3.700 ficaram feriadas após uma série de explosões na região portuária na capital. No entanto, ainda não é possível estimar o número exato de vítimas.

A megaexplosão foi causada por “materiais altamente explosivos” confiscados pelas autoridades, disse o major-general Abbas Ibrahim, da Direção Geral de Segurança do Líbano. Ainda não se sabe exatamente o que causou a explosão no porto.

Repórteres de emissoras de TV na região falam em dezenas de corpos no local do que até agora é tratado como um acidente. Fontes militares, no entanto, dizem que o ponto da explosão coincide com um armazém onde eram guardados materiais altamente explosivos confiscados.