Internacional Companhias chinesas suspendem transporte de carga no Mar Vermelho após ataques do Houthi

Companhias chinesas suspendem transporte de carga no Mar Vermelho após ataques do Houthi

Navios foram alvo do grupo terrorista, que atua no Iêmen; Maersk e Hapag-Lloyd também suspenderam a navegação na região

  • Internacional | Do R7, com EFE

Evergreen Marine  é uma das companhias chinesas que suspenderam o transporte de cargas pelo mar Vermelho

Evergreen Marine é uma das companhias chinesas que suspenderam o transporte de cargas pelo mar Vermelho

Divulgação Canal de Suez/via AFP

As companhias marítimas chinesas Cosco, OOCL e Evergreen Marine decidiram suspender o transporte de cargas na rota do mar Vermelho, uma das principais vias marítimas do mundo, que liga a Europa, a Ásia e a África.

As três empresas, entre elas a estatal China Ocean Shipping Company, conhecida como Cosco, uma das maiores companhias de transporte marítimo do mundo, notificaram verbalmente os seus clientes sobre a suspensão da carga, informou nesta segunda-feira (18) o portal de notícias The Paper.

A última sexta (15) foi o dia mais violento contra a navegação marítima internacional nessa região, depois que pelo menos três navios foram alvo de ataques, dois deles reivindicados pelo Houthi, movimento apoiado pelo Irã.

A Evergreen Marine, cuja sede está localizada em Taiwan, afirmou nesta segunda que, “diante da feroz escalada da situação de guerra nos últimos dias”, suspenderá com efeito imediato o serviço de importação e exportação de Israel “devido ao aumento dos riscos e considerações de segurança”.

Já a OOCL, empresa de navegação com sede em Hong Kong, anunciou ainda no sábado (16) que, “devido a questões operacionais, suspenderá a aceitação de carga de e para Israel com efeito imediato até novo aviso”.

Na sexta-feira passada, os grupos marítimos Maersk e Hapag-Lloyd anunciaram a suspensão temporária da navegação pelo canal de Suez e pelo mar Vermelho, depois de vários navios terem sido atacados, nos dias anteriores, ao largo da costa do Iêmen.

Outros grupos apoiaram essa decisão e aderiram à suspensão temporária, sem especificar uma data para retomar a navegação pela rota.

Os houthis lançaram várias rajadas de mísseis e drones contra o sul de Israel nos últimos dois meses e também contra navios com bandeira do Estado judeu ou pertencentes a empresas israelenses no mar Vermelho e no estreito de Bab al Mandeb.

Últimas