Internacional Contra restrições, homens armados invadem sede do governo do Oregon

Contra restrições, homens armados invadem sede do governo do Oregon

Manifestantes seriam do grupo de extrema direita Patriot Prayer, de Washington, que esteve envolvido em outros atos de violência recentes

  • Internacional | Da EFE

Capitólio do Oregon é invadido por 300 pessoas

Capitólio do Oregon é invadido por 300 pessoas

Oregon / Divulgação

Várias dezenas de manifestantes, alguns deles portando de armas de fogo, invadiram o Capitólio do Oregon na segunda-feira (21) para protestar contra as restrições impostas no Estado para combater a pandemia da covid-19.

EUA começam a administrar vacina contra covid-19 da Moderna

A estação de rádio local "OPB" identificou alguns dos manifestantes como integrantes do grupo de extrema direita Patriot Prayer, com sede em Vancouver, em Washington, que esteve envolvido em outros atos de violência.

Os manifestantes haviam se reunido pela manhã fora do Capitólio, na cidade de Salem, onde uma sessão especial estava sendo realizada no interior, enquanto legisladores discutiam a resposta sanitária e econômica à pandemia.

O grupo, formado por cerca de 300 de acordo com a imprensa local, pediu a renúncia e prisão da governadora, a democrata Kate Brown, e gritaram palavras de ordem a favor da suspensão das restrições e da reabertura total da economia do Estado.

A tensão entre os manifestantes e os policiais que guardavam protegendo o local aumentou e alguns conseguiram superar a vigilância e entrar no Capitólio com o uso de spray de agente químico, segundo a polícia estadual.

Os agentes responderam lançando bombas de gás lacrimogêneo, e o confronto terminou com a prisão de três pessoas, uma delas identificada pelas autoridades como Ryan Lyles, de 41 anos.

"A Polícia Estadual do Oregon incentiva as pessoas a exercerem seu direito à liberdade de expressão, mas isso deve ser feito de maneira legal. Favor parar qualquer ato de vandalismo ou destruição de propriedade. Se você cometer um crime, você será preso", afirmaram as autoridades em comunicado.

O Patriot Prayer é o grupo ao qual pertencia um apoiador do presidente dos EUA Donald Trump que foi morto a tiros em Portland, no Oregon, em agosto, por um membro do grupo anarquista Antifa enquanto participava de uma marcha da extrema direita.

Últimas