Coreia do Norte
Internacional Coreia do Norte confirma novo teste sob supervisão de Kim Jong-un

Coreia do Norte confirma novo teste sob supervisão de Kim Jong-un

Segundo agência de notícias, teste era para avaliar rendimento do controle da altura de voo, capacidade do controle de rastreamento e taxa de acerto

Teste teve supervisão de Kim Jong-un

Teste teve supervisão de Kim Jong-un

KCNA via Reuters / 17.4.2019

A Coreia do Norte voltou a testar seu novo sistema de lança-foguetes teleguiados múltiplos nesta sexta-feira (2), uma manobra que mais uma vez foi supervisionada pelo líder supremo Kim Jong-un, confirmou neste sábado (data local) a agência de notícias oficial do regime, a KCNA.

"O teste tinha como objetivo avaliar o rendimento do controle da altura de voo, a capacidade do controle de rastreamento e a taxa de acerto do foguete", segundo o veículo de informação estatal norte-coreano.

O teste "confirmou de maneira satisfatória" esses pontos, assim como "o poder de explosão da ogiva" do projétil, um resultado sobre o qual Kim "expressou grande satisfação", detalhou neste sábado a "KCNA".

A Coreia do Norte lançou ontem dois projéteis a partir de sua costa oriental, o terceiro teste do tipo em apenas oito dias.

Os projéteis foram lançados durante a madrugada da província de Hamgyong do Sul e caíram no Mar de Japão, após percorrerem cerca de 220 quilômetros a uma altura de 25 quilômetros, segundo cálculos do Estado Maior Conjunto sul-coreano.

De acordo com a agência estatal de notícias norte-coreana, as armas que o regime de Pyongyang testou tanto na sexta como na quarta-feira são "um sistema de novo desenvolvimento de foguetes teleguiados múltiplos e de alto calibre", enquanto as análises realizadas por Seul e Washington indicam que se trataram de mísseis balísticos de curto alcance.

Esta série de testes armamentistas acontece em um momento de incerteza sobre o reatamento das negociações para a desnuclearização entre a Coreia do Norte e os Estados Unidos, algo ao qual Kim e o presidente americano Donald Trump se comprometeram em sua cúpula de junho na fronteira intercoreana.

O próprio Trump voltou a minimizar a importância dos últimos testes norte-coreanos nesta sexta-feira, ao assinalar que os dois líderes nunca discutiram o fim dessas manobras, embora admitisse que as mesmas violam as resoluções das Nações Unidas.

Em um comunicado publicado ontem pela "KCNA", um porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da Coreia do Norte afirmou que os testes recentes são parte de seu "desenvolvimento armamentista convencional" e criticou o Conselho de Segurança da ONU por condená-los.

"A RPDC (República Popular Democrática da Coreia, nome oficial da Coreia do Norte) nunca reconheceu as 'resoluções' da ONU contra a RPDC, ilegalmente fabricadas pela ONU a seu gosto, e nem as reconhecerá no futuro", acrescentou o porta-voz.