Internacional Covid: uma em cada quatro pessoas não se vacinou nas Américas

Covid: uma em cada quatro pessoas não se vacinou nas Américas

Países de renda baixa e média do continente não conseguiram imunizar 54% da população sequer com a primeira dose

AFP
Américas enfrentam maior desigualdade de vacinação entre continentes

Américas enfrentam maior desigualdade de vacinação entre continentes

Fabio Rodrigues-Pozzebom/ Agência Brasil - 22.1.2022

Uma em cada quatro pessoas ainda não recebeu uma única dose da vacina contra a Covid-19 nas Américas, onde os contágios e os óbitos pela doença continuam crescendo, alertou nesta quarta-feira (2) a Opas (Organização Pan-Americana da Saúde).

Os indíces são mais baixos na América Latina e no Caribe, onde 63% dos habitantes não foram vacinados contra a Covid-19. A região se mantém como a mais desigual do mundo no acesso aos imunizantes, afirmou a diretora da Opas, Carissa Etienne, durante uma coletiva de imprensa virtual.

Embora 14 países e territórios tenham imunizado completamente 70% da sua população, outros ainda precisam proteger 40% dela, acrescentou. Nos países de renda baixa e média, "mais de 54% das pessoas ainda não receberam uma única vacina contra a Covid-19", afirmou Etienne.

Enquanto isso, as infecções e as mortes por Covid-19 estão aumentando. Na semana passada, foram registrados mais de 7 milhões de novos casos e mais de 34 mil mortes relacionadas ao vírus.

Os óbitos aumentaram pela quarta semana consecutiva em todas as sub-regiões, com alta de quase 33% em relação aos sete dias anteriores. No Caribe, o número de mortes mais que dobrou em Cuba, Bahamas e Antígua e Barbuda. 

Em outras ilhas, como Martinica e Guadalupe, o vírus se espalha rapidamente entre os jovens e os não vacinados e, na América do Sul, Chile e Brasil registraram recordes de casos diários.

A Opas pede aos países que compilem dados sobre a vacinação por idade, sexo e grupo de risco e a informem, porque constatou brechas preocupantes naqueles que já os transmitem. Nos Estados Unidos e em Anguila, território britânico ultramarino no Caribe, por exemplo, a vacinação nos idosos é menor do que nos mais jovens, apesar de estes últimos correrem menos risco de adoecer.

Prevê-se um aumento no fornecimento de vacinas neste ano, graças às doações de Estados Unidos, Espanha, Canadá, Alemanha, França e outros países, que totalizam 26 milhões de doses.

O Fundo Rotatório da Opas, que até o momento entregou quase 100 milhões de doses, prevê obter outros 200 milhões neste ano.

Últimas