Internacional De viciado em informática a assassino de crianças: Adam Lanza segue um mistério nos EUA

De viciado em informática a assassino de crianças: Adam Lanza segue um mistério nos EUA

Autor do massacre era descrito como calmo, mas muito tímido

  • Internacional | com R7

Ninguém sabe ainda o que transformou Adam Lanza de um fanático por informática em um monstro vestido de preto que assassinou, na sexta-feira (14), 26 pessoas, inclusive 20 crianças, em uma escola, após matar uma mulher em casa — provavelmente a própria mãe.

Muitos conhecidos seus concordam que Lanza, de 20 anos, era tão calmo quanto a cidade de Newtown, cuja realidade ele próprio transformou com o massacre que cometeu na escola fundamental de Sandy Hook, um dos piores da história dos Estados Unidos.

Veja mais imagens do atirador e do massacre

Exceto o divórcio de seus pais, em 2008, seu passado indica que ele viveu em uma família bem formada e estável.

Conta-se que morava nos arredores da cidade com a mãe, Nancy Lanza, que teria sido professora da escola.

Seu pai é engenheiro-executivo na GE Capital, especializado em impostos, e seu irmão Ryan, de 24 anos, que inicialmente foi confundido com o assassino, também trabalha com assuntos tributários.

Uma foto que circula na internet identifica Adam como um jovem muito magro. O jornal The New York Times cita amigos que dizem que Adam Lanza era inteligente, "mas nervoso e inquieto".

Quando caminhava, ficava com "as mãos coladas ao corpo" e sua linguagem corporal era de alguém que queria ser invisível, relata o jornal. "Parecia fazer tudo o possível para evitar chamar a atenção", acrescenta.

Rifle pode ser encontrado em supermercado dos EUA

Rifle e pistolas seriam da mãe de atirador

Veja fotos do tiroteio que abalou os EUA

Ao contrário de muitos jovens americanos, Lanza fugia das redes sociais.

Até agora não se encontrou nenhuma página no Facebook associada a ele. Sua foto sumiu do anuário de 2010 do colégio onde estudou o ensino médio. "Vergonha perante as câmeras", diz o espaço vazio, segundo o Times.

Mas essas águas tranquilas aparentemente encobriam uma alma conturbada e possíveis problemas de saúde.

Em depoimento à polícia, Ryan Lanza conta que seu irmão tinha antecedentes de problemas mentais, segundo a emissora CBS.

Um ex-vizinho, Ryan Kraft, contou ao jornal The Washington Post que os irmãos Lanza ficaram aborrecidos com a separação dos pais e que Adam tinha problemas claros. "Tinha chiliques", contou Kraft ao Post.

Alex Israel, uma ex-colega de turma, contou à CNN que Lanza era "inquieto" e "um pouco violento, se você olhasse para ele".

— Socialmente, nunca estava disposto a sair e fazer amigos. Preferia ficar em casa.

Um familiar disse à ABC News que "obviamente não estava bem".

Parece que sua própria mãe, Nancy, contribuiu involuntariamente para o plano macabro do filho. As potentes pistolas Sig Sauer e Glock, de uso habitual de policiais, assim como um rifle militar que ele usou no massacre, estavam registradas em nome dela.

Segundo a polícia, a mãe foi a primeira vítima de Adam Lanza. Após atirar contra o rosto dela na própria casa, aparentemente Adam dirigiu até a escola e foi metódico ao semear o caos antes de acabar com a própria vida.

Foram mais de cem disparos, segundo testemunhas: seis adultos e 20 crianças mortas.

Mas a razão que o levou a praticar tais atos permanece uma pergunta sem resposta.

A polícia informou na tarde deste sábado (15) ter encontrado evidências “muito boas” sobre a motivação crime. As pistas, no entanto, que ainda não foram divulgadas, seguem abalando a sociedade norte-americana.

Quer ficar bem informado? Leia mais

O que acontece no mundo passa por aqui

Últimas