Embaixada revive polêmica sobre Palestina fora do Google Maps

País tem fronteiras demarcadas na ferramenta de geolocalização, mas elas aparecem apenas como um pontilhado dentro do território de Israel

Palestina é um pontilhado dentro do território de Israel

Palestina é um pontilhado dentro do território de Israel

Reprodução / Google Maps

*Esta matéria foi editada e teve seu título modificado, pois não mencionava que a polêmica se referia a uma reclamação já respondida pelo Google em 2016.

A embaixada da Palestina reavivou a polêmica sobre o nome do país não aparecer como um local nas ferramentas de geolocalização do Google em uma publicação no Facebook. No Google Maps, os territórios palestinos aparecem apenas como um pontilhado dentro de Israel, identificados como Cisjordânia e Faixa de Gaza.

Desde o Acordo de Oslo, em 1993, três áreas são reconhecidas como parte de um território autônomo sob comando da Autoridade Palestina — além da Cisjordânia e da Faixa de Gaza, também a porção oriental de Jerusalém.

Apesar da disputa para a transferência da capital palestina para Jerusalém, os territórios têm como centro administrativo a cidade de Ramallah, que também deixou de ser marcada como uma capital no Google Maps.

A Embaixada Palestina em Brasília divulgou nota pelo Facebook em que afirma: "A Palestina não aparece mais no Google Maps. Hoje, nas primeiras horas do dia 14 de julho, a Palestina não é mais um local, de acordo com o google maps. A faixa de Gaza é mencionada e marcada, mas onde a Palestina existia agora é simplesmente uma parte da Grande Israel."

Em tom de denúncia, a embaixada diz que o "domínio EUA / Israel" está tornando a Palestina "menos como um país com poucos colonos e mais como campos de concentração".

Apesar dos tratados internacionais, Israel tem ampliado seu domínio territorial na Cisjordânia com assentamentos, que recentemente foram considerados inconstitucionais pela própria Suprema Corte israelense. Com isso, a Palestina perdeu boa parte dos territórios anteriormente ocupados.

Para as Nações Unidas e mais 138 países-membro da organização, a Palestina é reconhecida e chamada de "Territórios Ocupados da Palestina", justamente por terem autonomia política reconhecida pelo Acordo de Oslo, mas serem áreas ocupadas por Israel desde a Guerra dos Seis Dias, em 1967.

Resposta oficial

Segundo informou a assessoria de imprensa do Google nesta quinta-feira (16), nada mudou desde 2016, quando o tema sobre o nome do país não parecer no Google Maps veio à tona.

O google afirma que os territórios onde existem algum tipo de disputas aparecem marcados por uma linha cinza tracejada, já que não existe um consenso sobre a delimitação das fronteiras. Por isso, o google afirma que o nome Palestina não aparece no mapa.

Ainda de acordo com a empresa, outro caso com marcação semelhante é a da Criméia, a qual também não mostra o nome do país em disputa.