EUA: Ex-policial serial killer confessa crimes para evitar pena de morte

Autor de dezenas de assassinatos e estupros na Califórnia nas décadas de 1970 e 80, Joseph DeAngelo era conhecido como "matador de Golden State"

DeAngelo foi preso em abril de 2018 após 40 anos

DeAngelo foi preso em abril de 2018 após 40 anos

Getty Images / Justin Sullivan / 27.4.2018

O ex-policial americano Joseph James DeAngelo, acusado de 13 assassinatos e 45 estupros cometidos há cerca de 40 anos na Califórnia e conhecido como "o matador de Golden State", se confessou culpado nesta segunda-feira (29) dos crimes dos quais é acusado, a fim de evitar a pena de morte.

Leia também: Como o serial killer que aterrorizou a Califórnia se escondeu por 40 anos

Vestido com a roupa laranja característica dos prisioneiros e usando uma máscara protetora em um tribunal em Sacramento, na Califórnia, o ex-agente de 74 anos admitiu ter cometido 13 assassinatos e os vários estupros.

Confissão assinada

A confissão de culpa foi escrita, e, portanto, não havia espaço para confissões improvisadas, naquela que foi uma das audiências mais bem assessoradas e com grande conhecimento da imprensa na Califórnia nos últimos anos.

Há algumas semanas, o jornal "Los Angeles Times" conversou com algumas das vítimas da DeAngelo, que disseram estar aliviadas, mas frustradas porque o homem já viveu toda a sua vida.

O criminoso, que foi policial durante os anos 70, foi preso em abril de 2018 em Sacramento, capital do estado, graças à correspondência das provas de DNA coletadas nas cenas de crime com as dos bancos de dados das empresas de genealogia através de testes genéticos. As vítimas tinham entre 13 e 41 anos na época dos crimes, segundo o FBI.