EUA: Homem negro é baleado por policiais na frente dos filhos

Jacob Blake foi atingido enquanto tentava entrar no carro, onde crianças estavam. Ele está internado em estado grave e policiais foram afastados

Homem negro foi baleado por policiais

Homem negro foi baleado por policiais

Reprodução / Twitter

Dois policiais da cidade de Kenosha, em Wisconsin, nos Estados Unidos, atiraram contra um homem negro enquanto ele tentava entrar no próprio carro.

foSegundo a CNN, os policiais foram chamados para intervir em uma briga doméstica e o homem, identificado como Jacob Blake, apartou a briga.

Segundo o advogado Ben Crump, o mesmo advogado de defesa de George Floyd, toda a ação aconteceu na frente dos três filhos de Blake, que estavam no carro. Depois dos tiros, o homem foi levado ao hospital e está em estado grave.

Nas imagens, Blake aparece andando de volta para o carro com os dois policiais brancos atrás dele, com as armas apontadas. Na hora em que ele tenta entrar no veículo, um dos policiais o segura pela camiseta e sete tiros foram disparados. Ele foi baleado nas costas e aparece caindo dentro do carro.

Não se sabe se os dois policiais atiraram ou se os disparos vieram de só uma arma. Os dois agentes, cujos nomes não foram divulgados, estão foram afastados nesta segunda-feira (24) e estão colaborando com as investigações do caso, segundo o departamento de Justiça.
 

Noite de protestos


Horas depois do tiroteio, manifestantes foram às ruas de Kenosha, picharam prédios do governo e incendiaram carros e em um tribunal. Há relatos de confronto entre manifestantes e policiais.

O governador do estado, Tony Evers, falou sobre o caso pelo Twitter e relembrou o assassinato de George Floyd e Breonna Taylor, outros dois negros mortos pela polícia americana e cujos casos tomaram a mídia internacional.

"Enquanto nós não temos todos os detalhes ainda, nós sabemos com certeza que ele não é o primeiro homem negro ou pessoa a ser baleada, ferida ou morta sem piedade pelas mãos dos indivíduos da lei no nosso estado ou país", escreveu.

.