Internacional Ex-agente russo foi envenenado com substância neurotóxica, diz polícia

Ex-agente russo foi envenenado com substância neurotóxica, diz polícia

Sergei Skripal foi encontrado inconsciente ao lado da filha na cidade inglesa de Salysbury; os dois seguem hospitalizados

ex-agente russo

Polícia: agente russo foi deliberadamente envenenado

Polícia: agente russo foi deliberadamente envenenado

RTR/via Reuters TV - 9.8.2006

A polícia acredita que uma substância neurotóxica foi usada para envenenar o ex-agente duplo russo Sergei Skripla e sua filha, Yulia, disse o chefe da força antiterrorista da Grã-Bretanha nesta quarta-feira (7).

"O caso está sendo tratado como um grande incidente envolvendo tentativa de assassinato pela administração de um agente neurotóxico", disse o comissário assistente de Londres, Mark Rowley, a repórteres, registra a agência de noticias Reuters.

Rowley também afirmou que "as duas pessoas que ficaram doentes primeiro foram alvo de um tentativa deliberada" de envenenamento.

Agente duplo

O caso ameaça prejudicar ainda mais os laços de Londres com Moscou.

Skripal, uma ex-coronel que trabalhava para o serviço de inteligência militar russo condenado por traição em Moscou, foi encontrado caído inconsciente em um banco fora de um shopping center na cidade inglesa de Salisbury, na tarde de domingo.

Ambos permanecem internados em estado crítico em um hospital inglês. Um dos policiais que chegou primeio ao local também está em estado grave.

Rowley recusou-se a especificar a substância utilizada no ataque ao ex-agente russo. Ele também não deu detalhes sobre como foi usado para envenenar Skripal e sua filha.

As autoridades de saúde do Reino Unido afirmaram que o incidente não representou riscos à saúde pública.

Espião foi condenado

Uma fonte de segurança dos EUA, falando sob condição de anonimato à agência Reuters, disse que a principal linha da investigação é a de que os russos possam ter usado a substância contra Skripal em vingança por sua traição.

Skripal traiu dezenas de agentes russos para a inteligência britânica antes de sua prisão pelas autoridades russas em 2004.

Em 2006, o ex-agente duplo foi sentenciado a 13 anos de prisão em um julgamento secreto. Em 2010, ele conseguiu refúgio na Grã-Bretanha depois de ter sido trocado por espiões russos capturados no Ocidente. 

Na terça-feira (6), o ministro das Relações Exteriores britânico, Boris Johnson, disse que se Moscou estivesse por trás do incidente, a Grã-Bretanha poderia examinar novamente as sanções e tomar outras medidas para punir a Rússia, que ele classificou como um estado "maligno e perturbador".

Johson chegou a cogitar a possibilidade da Inglaterra deixar de participar da Copa do Mundo.

    Access log