Internacional Fluxo de lava impede passagem de cientistas em La Palma

Fluxo de lava impede passagem de cientistas em La Palma

Vulcão está em erupção desde 19 de setembro, e estima-se que a atividade deve permanecer por um longo tempo

Agência EFE
Vulcão Cumbre Vieja está em erupção desde 19 de setembro

Vulcão Cumbre Vieja está em erupção desde 19 de setembro

Reprodução Twitter/@involcan

O novo fluxo de lava do vulcão Cumbre Vieja, que ainda está em erupção na ilha de La Palma, no arquipélago das Canárias, na Espanha, está causando "grande destruição" e impedindo o deslocamento de cientistas na região, informou neste sábado (9) o instituto vulcanológico local (Involcan).

Nas redes sociais, a entidade divulgou hoje imagens do avanço do novo fluxo de lava e informou que suas equipes estão encontrando dificuldades de trabalho devido ao poder destrutivo da lava.

A face norte do cone de erupção do vulcão desmoronou nas primeiras horas da manhã deste sábado, o que levou à emissão de fluxos de lava em várias direções.

O vulcão está em erupção desde 19 de setembro no município de El Paso, a principal parte afetada da ilha. Nove dias depois, o maior fluxo de lava chegou ao mar.

Além disso, o chamado delta lávico (evento que ocorre quando um grande fluxo de lava entra em um corpo d'água) corre o risco de desabar se continuar seu avanço para maiores profundidades no oceano, o que seria acompanhado da liberação repentina de gases, com explosões e ondas.

Há alguns dias, a erupção do vulcão, localizado no parque Cumbre Vieja, está em uma fase estável, embora os cientistas prevejam que sua atividade continuará por um longo tempo.

A sismicidade na ilha continua aumentando em número e intensidade, sempre a mais de 10 quilômetros de profundidade, o que significa que a possibilidade de um novo centro eruptivo longe do cone principal é por enquanto muito pequena, na opinião dos especialistas.

Cumbre Vieja é um dos complexos vulcânicos mais ativos das Ilhas Canárias. Foi o local de duas das últimas três erupções registradas nas ilhas: as dos vulcões San Juan, em 1949, e Teneguía, em 1971.

Últimas