Internacional Governo de Israel prepara novos acordos bilaterais com Brasil

Governo de Israel prepara novos acordos bilaterais com Brasil

País é visto como importante aliado e novos acordos para intercâmbio comercial e cultural estão em pauta

  • Internacional | Eugenio Goussinsky, do R7

Merav Michaeli cumprimenta Yair Lapid

Merav Michaeli cumprimenta Yair Lapid

Emmanuel Dunand/AFP/13-06-21

O novo governo de Israel já começou a se movimentar para manter e aprimorar as relações com outros países e já pensa em novas negociações com o governo brasileiro, para o intercâmbio comercial e cultural, conforme informou o responsável pela embaixada israelense no Brasil, David Atar.

"Nos últimos anos, autoridades israelenses de todos os partidos políticos e denominações estiveram em contato próximo com seus pares brasileiros. Este nível de relacionamento continuará a ser uma questão prioritária para Israel. Acreditamos que muito em breve haverá mais negociações entre nossos chefes de Estado e altos funcionários de ambos os governos", destacou, referindo-se a novos acordos bilaterais.

Leia mais: Como aliança da direita com a esquerda governará Israel

Atar ressaltou que a mensagem do presidente Jair Bolsonaro, felicitando o novo governo, foi recebida com bastante satisfação pelo governo israelense.

"A aliança estratégica com o Brasil continuará sendo uma prioridade para o governo israelense. O governo israelense ficou muito feliz em receber a nota calorosa, parabenizando o novo governo de Israel que foi publicado hoje pelo governo brasileiro", afirmou.

Em relação à geopolítica mundial, o diplomata garantiu que o objetivo de Israel é manter boas relações com todos os aliados.

"Israel continuará com uma relação próxima e calorosa com todos os aliados, como foi demonstrado nos telefonemas, após o juramento do novo primeiro-ministro, de líderes globais como o presidente Biden (EUA), a chanceler Merkel (Alemanha), o presidente Putin (Rússia), o primeiro-ministro Trudeau (Canadá) e outros", afirma David Atar, atual responsável pela embaixada de Israel no Brasil.

Também a relação com os países árabes será mantida e aprimorada, segundo ele. Pelos acordos com Emirados Árabes, Bahrein e Sudão, assinados em 2020, há um crescente intercâmbio e troca de informação entre os países. Um acordo com a Arábia Saudita continua em pauta.

"As relações de Israel com as nações do mundo permanecerão boas e esperamos que melhorem ainda mais. Com base no discurso de posse do primeiro-ministro, Israel terá como objetivo aprimorar ainda mais sua relação com outros países do Oriente Médio, dando continuidade ao impulso dos acordos de Abraão", destacou.

Para o Ministério das Relações Exteriores, a tecnologia e a inovação continuam sendo importantes instrumentos de diplomacia.

"O governo recém-nomeado se concentrará no desenvolvimento das relações exteriores, laços econômicos e intercâmbio cultural de Israel. Tecnologia, inovação e educação continuarão no topo da agenda. Esperamos em breve começar a discutir como fortalecer ainda mais nossas relações", completou.

Mulheres no governo

O novo governo de Israel é marcado pela diversidade, inclusive porque começa a ter um número maior de mulheres. Um terço dos 27 ministros é formado por mulheres, em ministérios estratégicos, como do Interior, da Economia e do Trabalho. É o maior número de mulheres já visto dentro de um governo israelense.

Também há o objetivo dar um caráter mais jovial ao governo, com 11 dos ministros tendo menos de 50 anos.

Em entrevista recente ao R7, a atual ministra da Economia, Orna Barbivay, já havia destacado uma maior abertura da sociedade israelense para a participação das mulheres.

"Israel, como um estado democrático, passou por uma mudança para melhor ao longo dos anos. Hoje em dia, podemos ver mulheres que lideram em vários campos diferentes e diversos, como ciência, medicina, tecnologia, educação e artes. Esse processo também afeta o IDF (Exército de Defesa de Israel), visto que as mulheres estão hoje servindo em posições que antes estavam fora do alcance delas (principalmente funções de combate)", disse.

Na ocasião, ela ressaltou que, no entanto, há ainda muito a ser feito.

"É importante ressaltar que a jornada está longe de estar completa. Ainda existem diferenças salariais entre homens e mulheres em Israel que desempenham exatamente os mesmos trabalhos, e, se havia alguma dúvida sobre a dupla função das mulheres, entre família e carreira - a covid-19 expôs o fato de que elas são as primeiras a serem prejudicadas pela pandemia. Por exemplo, as mulheres representam 60% dos desempregados em Israel", disse.

 Veja a lista completa dos componentes do novo governo israelense.

– Primeiro-ministro: Naftali Bennett, 49 anos, direita, partido Yamina (“À direita”). Ficará no cargo até agosto de 2023, quando deverá assumir a função de ministro do Interior, cedendo o lugar para Yair Lapid.
– Relações Exteriores (e então primeiro-ministro a partir de agosto de 2023): Yaïr Lapid, 57, centro, partido Yesh Atid (“Há um futuro”)
– Defesa: Benny Gantz, 62, centro, partido Azul e Branco
– Interior: Ayelet Shaked, 45, direita, Yamina (mulher)
– Transportes: Merav Michaeli, 54, esquerda, Partido Trabalhista 
– Segurança Interna: Omer Bar-Lev, 67, esquerda, Partido Trabalhista
– Justiça: Gideon Sa'ar, 53, direita, partido Tikva Hadasha (“Nova esperança”)
– Finanças: Avigdor Lieberman, 62, direita nacionalista laica, partido Israel Beiteinu (“Israel nossa casa”)
– Educação: Yifat Shasha-Biton, 48, direita, Tikva Hadasha 
– Saúde: Nitzan Horowitz, 56, esquerda, partido Meretz
– Energia: Karin Elharar, 43, centro, Yesh Atid 
– Habitação, Construção e Jerusalém: Zeev Elkin, 50, direita, Tikva Hadasha
– Economia: Orna Barbivay 58, centro, Yesh Atid 
– Meios de Comunicação: Yoaz Hendel, 46, direita, Tikva Hadasha
- Meio ambiente: Tamar Zandberg, 45, esquerda, Meretz 
– Assuntos Sociais: Meir Cohen, 65, centro, Kahol Lavan
– Igualdade Social: Meirav Cohen, 37, centro, Yesh Atid 
– Cultura e Esportes: Chili Tropper, 43, centro, Kahol Lavan
– Finanças: Hamad Amar, 64, direita nacionalista laica, Israel Beitenu
– Agricultura: Oded Forer, 44, direita nacionalista laica, Israel Beitenu
– Assuntos Religiosos: Matan Kahana, 48, direita, Yamina
– Cooperação Regional: Essaoui Frej, 57, esquerda, Meretz
– Ciência e Tecnologia: Orit Farkash-Hacohen, 52, centro, Kahol Lavan 
– Inteligência: Elazar Stern, 64, centro, Yesh Atid
– Imigração e Integração: Pnina Tamano Shata, 40, centro, Kahol Lavan 
– Turismo: Yoel Razvozov, 40, centro, Yesh Atid

Últimas