Governo do Iêmen e separatistas anunciam acordo para dividir poder

Objetivo é conter os conflitos internos no país, assolado por guerra há quatro anos. Anúncio foi feito por príncipe saudita Mohammed bin Salman

Iêmen está em guerra há quatro anos

Iêmen está em guerra há quatro anos

Ali Owidha/Reuters - 31.8.2019

O governo do Iêmen reconhecido internacionalmente e os separatistas apoiados pelos Emirados Árabes Unidos anunciaram, nesta terça-feira (5), um acordo de repartição de poder para conter os conflitos internos no país. As informações são da rede de notícias árabe Al Jazeera.

O pacto foi anunciado pelo príncipe saudita Mohammed bin Salman — que, em rede de televisão, descreveu o chamado "Acordo de Riad" como um passo crucial rumo ao fim da sangrenta guerra de quatro anos que assola os iemenitas.

"Este acordo inaugura um novo período de estabilidade no Iêmen. O reino da Arábia Saudita está ao seu lado", disse bin Salman.

O texto, de acordo com a Al Jazeera, resultará em uma remodelação da administração pública para incluir os separatistas com igual representação no governo. Todos os órgãos militares, por sua vez, serão integrados sob o controle dos ministérios de Interior e Defesa.

Acordo preliminar

No último dia 25 de outubro, o governo do Iêmen e os separatistas já haviam iniciado um acordo preliminar de divisão do poder, após os insurgentes tomarem várias instituições públicas em agosto, atitude vista como um "golpe de Estado" pelo Poder Executivo.

Em meio aos conflitos e manifestações ocorridos, pelo menos 40 soldados do Exército iemenita morreram por bombardeios atribuídos aos Emirados Árabes no sul do país.