Governo espanhol proibirá glorificação da ditadura de Franco

A decisão faz parte da reforma do código penal do país e representa o enfrentamento da atual gestão ao legado da ditadura

Busto de Francisco Franco durante manifestação de simpatizantes do ditador em Madri

Busto de Francisco Franco durante manifestação de simpatizantes do ditador em Madri

Javier Barbancho/ REUTERS - 24.11.2019

O Partido Socialista espanhol comunicou nesta segunda-feira (10) que o governo da Espanha planeja tornar ilegal a glorificação do regime do falecido ditador e general Francisco Franco, como parte de uma reforma do código penal do país.

Franco, que comandou a nação de 1939 até sua morte em 1975, ordenou a execução ou prisão de dezenas de milhares de seus opositores, e até 50 mil pessoas morreram na guerra civil que o levou ao poder. Seu legado nacionalista ainda divide a Espanha e assombra seu sistema político.

"Em uma democracia, não se homenageia ditadores ou tiranos", disse a porta-voz parlamentar, Adriana Lastra.

Ela não detalhou o que constituiria uma "glorificação".

Outras estratégias de enfrentamento

O governo também pretende exumar os corpos das vítimas de Franco enterrados em valas coletivas e retirar quaisquer símbolos franquistas ainda existentes em locais públicos, disse Lastra. Nos últimos anos, muitas ruas batizadas em reconhecimento a Franco e seus aliados mudaram de nome, e estátuas públicas foram removidas.

O primeiro-ministro socialista, Pedro Sánchez, cujo governo de coalizão de esquerda chegou ao poder em janeiro, fez do enfrentamento do legado da ditadura um pilar de sua campanha eleitoral.