Rússia x Ucrânia

Internacional Governo russo acusa Ucrânia de 'ausência total de vontade' para negociar a paz

Governo russo acusa Ucrânia de 'ausência total de vontade' para negociar a paz

Já houve várias reuniões de delegações dos dois lados para buscar o cessar-fogo, mas todas falharam até o momento

AFP
O porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov

O porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov

Evgenia Novozhenina/Reuters - 23.12.2021

O governo da Rússia acusou nesta quarta-feira (18) a Ucrânia de "ausência total de vontade" para negociar o fim do conflito, iniciado com a ofensiva russa em 24 de fevereiro.

"As negociações não avançam e constatamos uma ausência total de vontade por parte dos negociadores ucranianos para continuar o processo", declarou o porta-voz do Kremlin, Dmitri Peskov.

Na terça-feira (17), a Presidência ucraniana afirmou que o diálogo foi interrompido por culpa de Moscou. "O processo de negociação está em pausa", disse Mykhailo Podolyak, conselheiro do presidente Volodmir Zelenski.

"A Rússia não compreende que a guerra não acontece mais de acordo com suas regras, seu calendário ou seus planos", acrescentou.

Delegações dos dois lados se reuniram diversas vezes, mas sem alcançar resultados concretos. O último encontro entre os líderes das equipes de negociação aconteceu em 22 de abril, segundo as agências russas.

Enquanto as tratativas para um cessar-fogo não avançam, o confronto entre os dois países segue com bastante força. A Rússia mantém seu domínio, especialmente sobre a região leste da Ucrânia. Nos últimos dias conquistou totalmente a cidade de Mariupol, que ainda resistia às forças de Vladimir Putin. Soldados e civis permaneciam dentro de uma siderúrgica em Azovstal, em abrigos subterrâneos, mas os militares se renderam nesta segunda-feira (17).

Ainda como consequência da guerra, Finlândia e Suécia pediram oficialmente permissão para aderir à Otan. A Rússia é contra a entrada dos países escandinavos na aliança ocidental e a Turquia já avisou que vai vetar a adesão das duas nações. Os Estados Unidos pressionam a Turquia para que mude de opinião. Para que um país entre na Otan é necessária a aceitação unânime dos demais membros.

Últimas