Rússia x Ucrânia

Internacional Invasão russa destruiu 53 sítios culturais na Ucrânia, diz Unesco

Invasão russa destruiu 53 sítios culturais na Ucrânia, diz Unesco

Representantes das Nações Unidas não cravaram a culpa da Rússia, mas dizem que as denúncias ucranianas estavam corretas

AFP
Centenas de edificações ucranianas foram atacadas desde o início da guerra

Centenas de edificações ucranianas foram atacadas desde o início da guerra

Sergey Bobok/AFP - 23.3.2022

A invasão russa da Ucrânia destruiu 53 sítios culturais desde seu início, em 24 de fevereiro — informou um porta-voz da Unesco (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura), nesta sexta-feira (1º), ressaltando que essa lista "não é exaustiva".

"As autoridades ucranianas apontaram os fatos, que, em seguida, foram verificados por nossas imagens de satélite e pelos nossos agentes no local", explicou o porta-voz da agência da ONU.

Esses 53 sítios incluem 29 lugares de caráter religioso, 16 edifícios históricos, 4 museus e 4 monumentos.

Cinco deles ficam na região de Chernihiv, uma cidade bombardeada pelo Exército russo e que aparecia em uma lista "indicativa" da Unesco. Kiev pretendia apresentar sua candidatura à lista de Patrimônio Mundial.

A região de Kiev tem outros cinco lugares danificados, e a região de Kharkiv, 18, segundo a lista da Unesco consultada pela AFP. O restante está distribuído pelas regiões de Sumy, Zhitomir, Zaporizhzhya, Donetsk e Lugansk.

Indagado se a Rússia causou esses danos, o porta-voz deu a entender a responsabilidade de Moscou: "Esses 53 locais cujos danos pudemos verificar reagrupam as acusações feitas pelas autoridades ucranianas".

A Rússia assinou, em 1954, uma convenção da ONU que busca proteger os bens culturais, em caso de conflito armado.

Em carta enviada em 17 de março ao chanceler russo, Serguei Lavrov, a diretora-geral da Unesco, Audrey Azoulay, fez advertência contra "qualquer violação dessas normas".

Últimas