Internacional Investigadores alemães descobrem novas provas do caso Madeleine 

Investigadores alemães descobrem novas provas do caso Madeleine 

Suspeito de envolvimento no desaparecimento da menina cumpre pena por estupro; crime ocorreu há 15 anos em Portugal

AFP
Madeleine McCann desapareceu em Portugal durante uma viagem em família em 2007

Madeleine McCann desapareceu em Portugal durante uma viagem em família em 2007

EFE/EPA/Luis Forra

A investigação sobre o desaparecimento há quinze anos no sul de Portugal de Madeleine McCann, uma menina de 3 anos, avança graças a novas provas que apontam ao principal suspeito, informou um porta-voz do Ministério Público alemão à televisão portuguesa.

"A investigação continua e descobrimos novos elementos, novas evidências, não evidências forenses, mas evidências", disse Hans Christian Wolters, porta-voz do Ministério Público de Brunswick, encarregado da parte alemã desse caso, em uma entrevista transmitida na terça-feira (3) à noite no canal CMTV. 

O promotor português anunciou em 22 de abril a acusação, a seu pedido, de um suspeito na Alemanha, no âmbito da investigação "em cooperação com as autoridades inglesas e alemãs". 

A sua identidade ou a natureza das suspeitas que pesam sobre ele não foram especificadas, mas segundo a Justiça alemã trata-se de Christian B., reincidente que viveu vários anos no sul de Portugal.

O homem, que cumpre pena na prisão pelo estupro de uma americana de 72 anos em 2005 em Portugal, já havia sido identificado por investigadores alemães em 2020 como o principal suspeito do assassinato da menina britânica. 

Em 3 de maio de 2007, Madeleine McCann desapareceu pouco antes de completar 4 anos na Praia da Luz, um balneário da região turística do Algarve, onde estava de férias com sua família. 

Últimas