Internacional Junta militar de Mianmar liberta mais de 23 mil detidos

Junta militar de Mianmar liberta mais de 23 mil detidos

Grandes anistias para liberar espaço em prisões superlotados são frequentes e anunciados em datas importantes do país 

Militares de Mianmar libertam 23 mil presos nesta sexta-feira (12)

Militares de Mianmar libertam 23 mil presos nesta sexta-feira (12)

AFP

Os militares no poder em Mianmar desde o golpe de Estado ordenaram a libertação de mais de 23 mil prisioneiros nesta sexta-feira (12), após a detenção nos últimos dias de pessoas próximas à chefe de Governo deposta Aung San Suu Kyi e de altos funcionários eleitorais.

As grandes anistias de prisioneiros para liberar espaço em estabelecimentos superlotados são frequentes e anunciados em datas importantes do calendário birmanês. Esta sexta-feira é feriado no país.

"O conselho de administração do Estado (...) suspendeu a pena de 23.314 pessoas detidas em prisões, centros de detenção e campos", anuncia o jornal estatal Global New Light of Myanmar, usando o termo oficial para designar o governo militar birmanês.

O jornal também afirma que 55 presos estrangeiros serão libertados.

As duas ordens têm a assinatura do chefe da junta, o general Min Aung Hlaing.

Não foram divulgados detalhes sobre os prisioneiros liberados.

Aung San Suu Kyi e outras figuras políticas foram detidas durante operações realizadas no dia 1 de fevereiro, quando o exército deu golpe de Estado.

As Forças Armadas denunciam fraude nas eleições de novembro, que o partido de Suu Kyi, a Liga Nacional para a Democracia (LND), venceu por ampla maioria.

Desde então, a vencedora do Nobel da Paz de 1991 não foi vista em público. De acordo com membros da LND, ela está em prisão domiciliar, mas se encontra "bem de saúde".

Desde o golpe de Estado, o novo regime prendeu mais de 200 pessoas, segundo uma ONG de defesa dos presos políticos.

Entre estas pessoas está o australiano Sean Turnell, assessor econômico do governo derrubado de Aung San Suu Kyi.

A LND confirmou na quinta-feira a detenção de diretores da Comissão Eleitoral,

Além disso, policiais realizaram uma operação esta semana na sede do partido em Yangon.

Últimas