Macron: terroristas 'não passarão' por cima de valores democráticos

Presidente da França condena assassinato de professor e diz que ele foi morto por ensinar liberdade de expressão para seus alunos

Macron fala diante da escola onde o professor assassinado lecionava

Macron fala diante da escola onde o professor assassinado lecionava

Abdulmonam Eassa / EFE - EPA - 16.10.2020

O presidente da França, Emmanuel Macron, afirmou nesta sexta-feira, após o ataque no qual um professor foi decapitado nos arredores de Paris, que os terroristas islâmicos "não passarão" por cima dos valores democráticos do país.

Leia também: Professor é morto a facadas perto de Paris; Macron fala em 'ataque terrorista'

Foi "um ataque terrorista islâmico", disse Macron à imprensa na cidade de Conflans-Sainte-Honorine, onde ocorreu o ataque.

O professor "foi morto hoje porque ensinou, porque explicou aos seus alunos liberdade de expressão, liberdade de acreditar e liberdade de não acreditar", afirmou.

Solidariedade aos professores

Macron prestou condolências à família e aos colegas da vítima, mas acima de tudo enfatizou a solidariedade aos professores do país, prometendo que "toda a nação estará ao seu lado hoje e amanhã para defendê-los e permitir-lhes fazer seu trabalho: formar cidadãos livres".

O autor do ataque "queria derrubar a República e seus valores", um dos quais é "fazer cidadãos livres", acrescentou.

Macron enfatizou que os terroristas "não passarão" e que "o obscurantismo religioso não vencerá" o que ele chamou de "batalha".