Internacional Mais de 500 podem ter morrido em onda de calor no Canadá

Mais de 500 podem ter morrido em onda de calor no Canadá

Foram registradas 719 mortes súbitas na última semana, quando temperaturas no país chegaram a quase 50ºC

País registrou temperaturas recorde na última semana

País registrou temperaturas recorde na última semana

Chad Hipolito/Reuters - 28.6.2021

A quantidade de pessoas que morreram em meio à fortíssima onda de calor que atingiu o Canadá pode passar de 500, informam as autoridades locais. A estimativa se baseia na análise da média semanal desse tipo de óbito e o registrado na última semana.

Em entrevista ao jornal The Guardian, a chefe do Departamento de Medicina Legal da província da Colúmbia Britânica, Lisa Lapointe, informou que foram 719 mortes súbitas durante a semana passada, que registrou recordes quase diários de temperaturas extremas.

O número é "sem precedentes" e "acreditamos que o clima extremo é um fator que contribuiu significativamente para o aumento de mortes".

Segundo Lapointe, a média de falecimentos repentinos semanal é de 230, por isso, ela estima que mais de 500 pessoas tenham o calor entre os motivos que levaram a óbito. E grande parte dessas pessoas eram idosos que moravam sozinhos e em residências com poucas opções de ventilação.

No entanto, a chefe-legista diz que as investigações sobre os números "levarão semanas" para serem concluídas e não descarta uma quantidade ainda maior de vítimas do que o que foi computado até agora.

Na última semana, a província da Colúmbia Britânica registrou altíssimas temperaturas e a pequena cidade de Lytton bateu por três vezes o recorde histórico do país: 46,5°C, 47,8°C e 49,6°C, respectivamente, nos dias 27, 28 e 29 de junho.

Além do Canadá, também os Estados Unidos registraram cerca de 110 mortes no período por conta do "domo de calor", a onda de ar quente que se estendeu da Califórnia ao Ártico.

Últimas