Internacional Michael é um 'furacão do pior tipo', avisam autoridades dos EUA

Michael é um 'furacão do pior tipo', avisam autoridades dos EUA

Costa da Flórida já sente efeitos da tempestade que avança pelo Golfo do México e já alcançou a categoria 4, numa escala de intensidade que vai até 5

Michael é um 'furacão do pior tipo', avisam autoridades dos EUA

O furacão Michael já começa a demonstrar sua força ao se aproximar da costa oeste da Flórida. A tempestade que avança pelo Golfo do México já está na categoria 4, em uma escala de intensidade que vai de 1 a 5, e deve atingir totalmente o estado na tarde desta quarta-feira (10).

O governador do estado, Rick Scott, que concorre a uma vaga no Senado nas eleições de novembro, deu uma entrevista coletiva nesta manhã para alertar sobre os perigos do Michael. Segundo ele, este é o furacão mais forte do século a atingir a região.

"Lembre-se que podemos reconstruir sua casa, mas não podemos reconstruir sua vida. Leve isso a sério. Mantenha suas famílias seguras”, pediu o govenador.

Brock Long, o diretor-chefe da Fema (Agência Federal de Gestão de Emergências dos EUA, na sigla em inglês) também reforçou que o Michael é  "um furacão do pior tipo".

Ordem de evacuação em 20 cidades

Mais de 2,1 milhões de moradores de pelo menos 20 municípios da Flórida estavam sob ordens de evacuação obrigatórias ou voluntárias.

Essa região é composta por áreas rurais, pequenas cidades turísticas, praias, reservas de vida selvagem e Tallahassee, a capital do estado.

O furacão deve atingir a região montanhosa de Panhandle, na Flórida, e pode elevar os níveis de água do mar em até 4,3 metros acima do normal em algumas áreas, informou o Centro Nacional de Furacões.

A tempestade pode se fortalecer ainda mais antes de chegar à costa.

Prejuízos para indústria do petróleo

Os prejuízos econômicos do furacão já começam a ser sentidos, já que a produção de petróleo no Golfo do México foi interrompida. 

Os produtores de petróleo evacuaram o pessoal de 75 plataformas desde segunda-feira. Isso representa cerca de 10% das plataformas ocupadas naquela região.

Uma agência reguladora informa que as empresas desligaram a produção diária de cerca de 671.000 barris de petróleo e quase 730 milhões de pés cúbicos de gás natural.

Arte R7

Vejas as imagens da passagem do furacão Michael pela Flórida: