Internacional Multidão no Paquistão vandaliza igrejas e incendeia casas

Multidão no Paquistão vandaliza igrejas e incendeia casas

Muçulmanos atacaram uma comunidade cristã depois de acusar dois de seus membros de profanar o Alcorão

  • Internacional | Do R7

Multidão assiste a uma igreja sendo incendiada no Paquistão

Multidão assiste a uma igreja sendo incendiada no Paquistão

Reuters - 16.08.2023

Uma multidão muçulmana atacou uma comunidade cristã no leste do Paquistão nesta quarta-feira (16), vandalizando igrejas e incendiando várias casas depois de acusar dois de seus membros de profanar o Alcorão, disseram policiais e líderes comunitários.

O ataque ocorreu em Jaranwala, no distrito industrial de Faisalabad, disse o porta-voz da polícia, Naveed Ahmad. Os dois cristãos foram acusados ​​de blasfêmia, disse ele, acrescentando que eles e seus familiares fugiram de suas casas.

O morador Shakil Masih disse que ouviu anúncios incitando as pessoas e depois viu multidões indo em direção à sua área cristã.

"Deixei minha casa imediatamente com minha família. Várias outras famílias fizeram o mesmo", disse ele à Reuters.

Compartilhe esta notícia no WhatsApp
Compartilhe esta notícia no Telegram

A área foi isolada enquanto a polícia negociava com a multidão, disse o chefe da polícia provincial, Usman Anwar, à publicação online English Dawn.com.

O que pesa contra os dois cristãos é que foram encontradas páginas do Alcorão com alguns comentários depreciativos escritos em vermelho.

A blasfêmia é punível com a morte no Paquistão e, embora ninguém jamais tenha sido executado por isso, vários acusados ​​foram linchados por multidões indignadas.

Um ex-governador provincial e um ministro das minorias também foram mortos a tiros por acusações de blasfêmia.

Grupos de direitos humanos dizem que acusações de blasfêmia também são mal utilizadas para acertar contas. Centenas de pessoas estão definhando na prisão depois de serem acusadas, já que os juízes muitas vezes adiam os julgamentos, temendo represálias se forem vistos como muito lenientes, dizem eles.

O primeiro-ministro interino, Anwar ul Haq Kakar, pediu uma ação severa contra os responsáveis ​​pela violência de quarta-feira. "Estou arrasado com as imagens que estão surgindo", disse.

Centenas de pessoas bloquearam uma via próxima para protestar contra a suposta profanação do Alcorão.

Um líder cristão, Akmal Bhatti, disse que a multidão "incendiou" pelo menos cinco igrejas e saqueou objetos de valor das casas abandonadas por seus proprietários.

Vários posts nas redes sociais mostraram algumas igrejas, casas e pertences em chamas enquanto a polícia ficava de prontidão.

A multidão era composta de milhares de pessoas lideradas por clérigos locais, principalmente de um partido político islâmico chamado Tehreek-e-Labaik Paquistão, disse uma fonte do governo.

O partido, no entanto, negou incitar a violência e disse que trabalhou com a polícia para tentar acalmar a situação.

Últimas