Internacional No México, mais dois candidatos são mortos a poucos dias da eleição

No México, mais dois candidatos são mortos a poucos dias da eleição

As vítimas foram dois candidatos a prefeito em zonas rurais do país, no estado de Michoacán. Já são mais de 100 políticos assassinados

Violência no México

Ángeles foi morto em frente à sua casa

Ángeles foi morto em frente à sua casa

Reprodução/Facebook/ Enrique Romero

A dez dias das eleições que vão eleger prefeitos, governadores, congressistas e um novo presidente no México, mais dois candidatos foram assassinados de forma violenta no país. O país já tem mais de 100 candidatos assassinados nesta campanha.

Segundo a Etellekt — agência mexicana de análise de risco —, são mais de 400 casos de violência política, incluindo ameaças e agressões.

Desta vez, as vítimas foram dois candidatos a prefeito em zonas rurais do país, no estado de Michoacán.

Primeira campanha

Esta era a primeira campanha política de Fernando Ángeles Juárez, 64 anos, que era candidato a prefeito da cidade de Ocampo, a cerca de 180 quilômetros de distância da Cidade do México.

Juárez foi morto a tiros do lado de fora da casa que dividia com a esposa e os seis filhos.

Segundo Miguel Malagón afirmou ao jornal mexicano El Universal, um amigo de infância que estava trabalhando na sua campanha, o candidato era "apaixonado pela sua família, todo mundo gostava dele, por isso não entendemos o que aconteceu".

Candidato a prefeito

A outra vítima foi Omar Gómez Lucatero, candidato a prefeito da cidade de Aguililla, que foi morto na última quarta-feira.

Silvano Aureoles, o atual governador do estado que vive enfrentamentos constantes entre a polícia e os narcotraficantes, prometeu encontrar os responsáveis pelos crimes.

Após os ataques, a presidente do Tribunal Eleitoral recorreu "às mais altas autoridades" mexicanas para garantir a segurança das eleições porque "mãos criminosas estão agindo de uma maneira premeditada e desprezível para decidir por meio de violência quem deve ou não estar nas urnas".