Novo vídeo do caso Floyd mostra apelo das pessoas para salvá-lo

As imagens da câmera corporal de Tou Thao mostram as diversas intervenções da população que observava a abordagem contra George Floyd

George Floyd foi assassinado por policiais em uma abordagem em Minneapolis

George Floyd foi assassinado por policiais em uma abordagem em Minneapolis

Reprodução / Facebook

Um novo vídeo publicado mostra as imagens feitas pela câmera corporal de um dos policiais, Tou Thao, da ação contra o segurança George Floyd, morto durante a abordagem. Elas mostram que a população que estava por perto e apelou diversas vezes, e o tempo todo, para que os policiais saíssem de cima de Floyd.

A morte de George Floyd desatou uma onda de protestos contra o racismo policial nos Estados Unidos, e geraram a solidariedade em outros países do mundo. 

Outras imagens de câmeras corporais já foram publicadas. O policial novato Thomas Lane, que estava com a câmera cujas imagens foram vazadas no último dia 4, pergunta para Chauvin se eles deveriam virar Floyd de lado. Chauvin diz que não tem necessidade.

Também foram publicadas as imagens da câmera de J. Alexander Kueng. Apenas as de Derek Chauvin, o policial que ficou ajoelhado sobre o pescoço de Floyd ainda não foram divulgadas.

Os policiais envolvidos na morte de Floyd foram demitidos e estão sendo acusados de homicídio doloso. A defesa de Tou Thao e Thomas Lane vão pedir pelo arquivamento do caso.

Início da ocorrência

No início do vídeo é possível ver o policial chegando de carro até a esquina onde George Floyd foi preso. Ele desce do carro e as imagens da câmera corporal dele mostram dois policiais tentando colocar o ex-segurança em um carro da polícia, pela porta traseira. 

Como não conseguem, já que George afirma que não vai entrar e resiste dizendo "eu não sou um cara mau", o outro policial dá a volta no carro, e tenta puxá-lo pela outra porta traseira. Assim, um policial tenta empurrá-lo para dentro do banco de trás da viatura, enquanto o outro tenta puxá-lo pela outra porta.

Em seguida, George Floyd escorrega pela porta onde o policial o puxava para dentro e ele cai no chão, do outro lado do carro. Logo, três policiais seguem para o outro lado do carro para tentar colocar Floyd no banco traseiro da viatura. 

A câmera corporal de Tou Thao mostra que ele retorna para o outro lado da viatura e abre a porta traseira. Neste instante, é possível ver que George Floyd já está imobilizado pelo pesçoco por Dereck Chauvin, com os braços pra trás, e é então que começa a dizer "eu não consigo respirar".

Floyd, imobilizado, está levemente enconstado no carro, ou seja, com seu tronco apoiado no piso da parte de trás da viatura, e os dois policiais, Derek Chauvin e Thomas Kiernan Lane, que o seguram jogam seu peso corporal contra ele. Em seguida, Thao fecha a porta e volta para o outro lado do veículo onde dois policiais tentam colocar Floyd dentro da viatura.

No trajeto, é possível ver que um homem se aproxima da viatura observando a ação dos policiais. E chega a questionar titubeando: "o que é isso?". 

Floyd continua dizendo que "não consegue respirar" enquanto metade do seu corpo já está dentro da viatura. Floyd se move rapidamente e consegue sair, mas fica de joelhos, com o tórax encostado na viatura. Ele está algemado com os braços para trás. 

Os três policiais, Chauvin, Lane e J Alexander Kueng, tombam Floyd no chão e se ajoelham sobre ele. É possível escutar Floyd chorando e repetindo "eu não consigo respirar". Sua respiração já parece mais ofegante. Neste momento, Thao vai para o porta malas e o abre. 

Enquanto Thao mexe em umas malas que estão no porta malas, os três policiais continuam imobilizando Floyd. O segurança começa então a chamar pela mãe. Ao fundo é possível ouvir aquele homem que observava tudo dizer "Jesus Cristo", impressionado com o que assistia.

O policial Thao continua procurando algo dentro das malas no porta malas, e Floyd começa a dizer "Mãe, eu te amo", e segue repetindo, "eu não consigo respirar". Chauvin já está ajoelhado sobre Floyd, mas não é possível observar o que fazem os outros dois policiais, Thomas Kiernan Lane e J Alexander Kueng.

Floyd começa a chorar. Thao encontra o que procurava, um gancho que ele entrega aos policiais que continham Floyd. Quando ele fecha o porta malas, é possível observar que os três policiais estavam sobre Floyd, no chão. Floyd continua chorando.

Os três policiais já estão calmos, mas continuam em cima de Floyd. No vídeo, é possível ver que um deles já começa a pedir para o homem que observava toda a ação e que já tinha questionado, sair. Thao dá a volta no carro e liga algo dentro da viatura e retorna ao outro lado onde acontece toda a ação.

Lá os policiais conversvam enquanto continuam imobilizando Floyd, e ele suplica pela vida "eu não consigo respirar". Os policiais já não estão fazendo nada, apenas mantém o peso de seus corpos em cima de Floyd. Thao dá uma volta e é possível observar que várias pessoas observam a ação policial.

As imagens da câmera corporal mostram Tou Thao contendo a população

As imagens da câmera corporal mostram Tou Thao contendo a população

Reprodução

Intervenção da população

A situação já parece controlada, e Floyd continua repetindo "eu não consigo respirar". Pela câmera corporal de Thao é possível perceber que as pessoas começam a chegar mais perto da viatura com celulares em punho, gravando a cena.

Floyd chora e repete que não consegue respirar. Um policial fala "relaxa", e Floyd afirma que não consegue respirar, ele ainda repete "meu joelho", onde o policial está jogando seu peso em cima. Ele também reclama do seu pescoço, onde o Chauvin está ajoelhado em cima. 

A voz de Floyd já começa a soar balbuciada, e quase não é possível compreender o que diz. Ele pede água e repete que não consegue respirar. Floyd chora. Nisso, várias pessoas começam a pedir para que os policiais saiam de cima de Floyd. 

Thao responde para as pessoas que eles estavam tentando colocar Floyd há dez minutos no carro, mas neste momento, o vídeo está em seis minutos. As pessoas no entorno começam a questionar a atitude dos policiais. Floyd continua no chão, imobilizado por três policiais. 

Floyd pronuncia pela última vez que não consegue respirar, e a população começa a confrontar os policiais novamente alertando que o homem não estava bem. As pessoas falam que Floyd não está mais resistindo à prisão e que deveriam soltá-lo. mas os policiais continuam em cima dele.

A população do entorno percebe que Floyd já não está mais respirando e se aproxima, mas Thao os afasta da viatura. Neste momento surge uma mulher que se apresenta como bombeiro de Minneapolis, e pede que os policiais chequem se Floyd está com pulso.

Ela tenta se aproximar, mas é afastada por Thao. A população está furiosa e continua exclamando que Floyd não está respirando, mas Chauvin continua sobre seu pescoço. Outro homem exaltado repete que Floyd já não está se movendo, e também pede para checar se ele ainda está vivo. 

As pessoas no entorno indignadas, perguntam: "o que vocês estão fazendo, ele está morrendo?". Conforme as vozes das pessoas que observavam sobem de tom, é possível perceber o enorme silêncio de Floyd. Thao apenas contém a população para que não se aproximem do carro. 

Resgate

Não é possível observar no vídeo da câmera corporal de Thao porque ele fica o tempo todo de frente para as pessoas que questionavam a ação policial. Mas enquanto ele justificava a ação para os passantes, Floyd era levado pelo resgate, já morto.

Um dos homens que observava grita "ele está morto".