Rússia x Ucrânia

Internacional ONU comprova morte de ao menos 516 civis na guerra na Ucrânia

ONU comprova morte de ao menos 516 civis na guerra na Ucrânia

Segundo as Nações Unidas, 908 cidadãos ficaram feridos desde o início da invasão; organização diz que números podem ser maiores

Agência EFE
ONU afirma que a maior parte das mortes foi causada por ataques com armas explosivas

ONU afirma que a maior parte das mortes foi causada por ataques com armas explosivas

Emmanuel Duparcq/AFP - 2.3.2022

Ao menos 516 civis foram mortos (incluindo 37 crianças) e outros 908 feridos desde o início da guerra na Ucrânia, confirmou nesta quarta-feira (9) o Escritório das Nações Unidas para os Direitos Humanos, que ressaltou que os números reais podem ser muito mais altos.

A agência liderada pela alta-comissária Michelle Bachelet disse que continua a verificar relatos de baixas em vários ataques, incluindo relatos de que centenas de civis podem ter sido mortos nas cidades ucranianas de Volnovaja, Mariupol e Izium.

A maioria das baixas foi causada por ataques com armas explosivas, incluindo bombardeios com artilharia pesada e sistemas de lançamento múltiplo de foguetes, disse o escritório em um comunicado.

Das mortes, 111 foram confirmadas nas regiões de Donetsk e Lugansk, enquanto as outras 405 foram relatadas em outras áreas do país controladas pelo governo ucraniano, incluindo a capital, Kiev, e as cidades de Odessa, Kherson, Kharkiv, Zaporizhzhia, Sumy e Mikolaiv.

Os ataques militares indiscriminados a alvos civis como edifícios residenciais, escolas e unidades de saúde são considerados crimes de guerra sob o direito internacional.

Na semana passada, o Conselho de Direitos Humanos da ONU aprovou uma resolução para criar uma comissão de inquérito sobre possíveis violações do direito internacional cometidas pela Rússia em sua agressão contra a Ucrânia.

Arte/R7

Últimas