Internacional ONU destina US$ 250 milhões para combate à fome no mundo

ONU destina US$ 250 milhões para combate à fome no mundo

Dinheiro será usado em operações humanitárias de 19 países em situação de emergência, como Burkina Fasso, Haiti e Mali 

Agência EFE
António Guterres, secretário-geral da ONU, anuncia verba para evitar a fome

António Guterres, secretário-geral da ONU, anuncia verba para evitar a fome

ANNA MONEYMAKER/ GETTY IMAGES VIA AFP - 20.09.2022

O secretário-geral da ONU, António Guterres, anunciou neste sábado (18) que serão destinados US$ 250 milhões (R$ 1,3 bilhão) do Cerf (sigla em inglês para Fundo Central de Resposta à Emergências da Organização das Nações Unidas) para "chegar às pessoas mais vulneráveis do mundo e evitar a fome".

O objetivo é ajudar pessoas em 19 países, como Afeganistão, Burkina Fasso, Haiti, Mali, Nigéria, Somália, Sudão do Sul e Iêmen, oito países quem juntos, têm mais de 20 milhões pessoas muito perto da situação de fome, segundo indica o Cerf, por meio de comunicado.

Além disso, os fundos reforçarão a reposta humanitária no Chade, Colômbia, República Democrática do Congo, Eritreia, Etiópia, Honduras, Quênia, Líbano, Madagascar e Sudão, "para combater a insegurança alimentar e abordar os impactos da mudança climática e das prolongadas crises.

"Atualmente, em todo o mundo, 399 milhões de pessoas precisam de ajuda humanitária, um aumento de mais de 25% na comparação com o ano passado", garantiu Guterres.

A ONU e seus parceiros chegaram a quase 160 milhões de pessoas no ano passado, e as Nações Unidas vêm alertando que "o aumento das necessidades humanitárias está superando rapidamente a capacidade de resposta".

"Essa nova aplicação de fundos impulsionará as operações humanitárias em 19 situações de emergência. A ONU enfatizou a necessidade de quantidades maiores e mais rápidas de financiamento, e fez um apelo aos doadores, para que reponham o Cerf, de modo que os recursos possam chegar a um número cada vez maior de pessoas em situação de necessidade", completa a nota. 

Últimas