ONU enviará 8 toneladas de alimentos para vítimas de Dorian

Programa Mundial de Alimentos já comprou os alimentos e está organizando o transporte para as Bahamas para que seja feita a distribuição

ONU vai enviar toneladas de alimentos para Bahamas

ONU vai enviar toneladas de alimentos para Bahamas

Terran Knowles / Our News Bahamas / via Reuters / 3.9.2019

O Programa Mundial de Alimentos das Nações Unidas (PMA) anunciou nesta quinta-feira (5) o envio imediato de oito toneladas de alimentos para as Bahamas, com o objetivo de apoiar a população afetada pelo furacão Dorian.

Segundo um porta-voz, o PMA já adquiriu os alimentos e agora está organizando o transporte ao arquipélago para que seja feita a distribuição.

Além disso, a agência da ONU prevê o envio de um total de 85 toneladas de comida durante os próximos três meses, dentro de uma operação de US$ 5,4 milhões, onde inicialmente espera assistir aproximadamente 39 mil pessoas.

Segundo as primeiras estimativas das Nações Unidas, até 76 mil pessoas podem precisar de ajuda nas ilhas Ábaco e Grand Bahama, as áreas mais afetadas por Dorian.

Representantes do PMA estão nas Bahamas trabalhando ao lado do governo local e outros parceiros para identificar as necessidades mais urgentes. Além disso, estão organizando um transporte aéreo de materiais para inaugurar dois centros logísticos no país.

O subsecretário da ONU para Assuntos Humanitários, Mark Lowcock, esteve ontem nas Bahamas e se reuniu com o primeiro-ministro, Hubert Minnis, e anunciou uma primeira ajuda de US$ 1 milhão para ações de emergência.

Em conversa com os jornalistas, Lowcock ressaltou que as Bahamas "nunca viu nada desta escala" e pediu para que a comunidade internacional ajude os afetados, assim que houver mais clareza de quais são as reais necessidades.

Os trabalhos de busca, resgate e entrega de ajuda aos sobreviventes continuavam lentamente hoje, por conta das dificuldades em chegar às zonas mais prejudicadas pelos danos causados por Dorian em portos e aeroportos.

Até agora, o saldo oficial de mortos está em 20 pessoas, mas as autoridades já advertiram que este número deve aumentar à medida que tenham acesso a mais áreas.