Internacional Pelo menos 18 migrantes morrem após naufrágio no Mediterrâneo

Pelo menos 18 migrantes morrem após naufrágio no Mediterrâneo

As cerca de 100 pessoas que estavam na embarcação tentavam cruzar o mar em direção ao litoral da Europa para escapar da guerra na Líbia

  • Internacional | Do R7, com EFE

Resgate no Mediterrâneo após naufrágio de embarcação

Resgate no Mediterrâneo após naufrágio de embarcação

Reprodução/Open Arms

A ONG espanhola Open Arms continua os serviços de resgate após o naufrágio, na terça-feira (10), de um barco com quase cem pessoas na região central do Mediterrâneo. Nesta quarta-feira (11), foram confirmadas as mortes de ao menos cinco migrantes.

Insegurança alimentar pode afetar 16 milhões de latino-americanos

A ONG ressalta que este foi o segundo resgate nas últimas 24 horas. Outras 13 pessoas, incluindo três mulheres e uma menor de idade, morreram quando o barco afundou na terça. O grupo de migrantes pretendia atravessar o Mediterrâneo para escapar da guerra na Líbia e alcançar o litoral da Europa naufragou, de acordo com a Organização Internacional para as Migrações (OIM).

"Isto é o que acontece quando as pessoas são abandonadas durante dias no mar", afirmou a Open Arms em redes sociais.

O resgate

A Open Arms conseguiu salvar 85 pessoas de um barco muito danificado, na terça-feira. De acordo com a equipe de resgate, havia uma grande quantidade de gasolina derramada no interior da embarcação e água entrando a bordo.

Tempestade Theta bate recorde de 2005 ao se formar no Atlântico

A ONG explicou à Agência EFE que, quando a embarcação foi localizada, após muitas horas de busca, foram distribuídos coletes e máscaras. Posteriormente, o chão do barco cedeu e todas as pessoas caíram na água.

Sabia-se que o barco estava à deriva e, após horas de buscas, uma aeronave da operação Frontex da União Europeia detalhou a localização à Open Arms, cuja embarcação partiu na direção informada.

Últimas