Peru proíbe reuniões e retoma toque de recolher aos domingos

Aumento de casos de covid-19 força governo a proibir reuniões familiares e restabelecer horários sem circulação nas ruas no fim de semana

Aumento de casos no Peru fez governo retomar medidas de restrição

Aumento de casos no Peru fez governo retomar medidas de restrição

Sebastian Castaneda / Reuters - arquivo

O governo do Peru proibiu as reuniões familiares e restabeleceu o toque de recolher aos domingos devido à escalada de casos do novo coronavírus no país, que tem o terceiro maior número de infecções na América Latina, anunciou nesta quarta-feira (12) o presidente Martín Vizcarra. 

Leia também: Centenas de mulheres desaparecem durante a pandemia no Peru

O presidente anunciou ainda que aumentou o número de regiões com quarentena, mediante a preocupação pelo aumento de 75% no número de infecções entre crianças e adolescentes. 

"Agora quem está nos contagiando são as pessoas que conhecemos, os familiares que vem visitar, os amigos com os quais nos reunimos para fazer uma partidinha de futebol no bairro, um churrasco", disse Vizcarra em um discurso transmitido pela televisão no Palácio do Governo. 

"É um problema que juntos teremos de resolver", afirmou o presidente. "São as reuniões familiares e sociais... que estão gerando essa alta de casos", acrescentou. 

Disparada nos contágios

Nos últimos dias o país andino registrou um aumento de contágios de coronavírus, com uma média diária de 7 mil infectados e 200 mortos, segundo os dados oficiais. 

Até a última terça-feira, os casos confirmados de coronavírus no Peru subiram para 489.680 — quase o dobro do registrado em 18 de junho —enquanto os mortos somam mais de 21.501 — o dobro do registro no dia 6 de julho, informou o Ministério da Saúde peruano.