Internacional Polícia acredita que caminhão com 39 corpos vinha da Bélgica

Polícia acredita que caminhão com 39 corpos vinha da Bélgica

Motorista, de 25 anos, abandonou veículo em região portuário. Ele foi preso acusado de assassinato e presta depoimento para tentar esclarecer o caso

Polícia acredita que caminhão vinha da Bélgica

Polícia acredita que caminhão vinha da Bélgica

Hannah McKay/ Reuters - 23.10.2019

A polícia do Reino Unido acredita que o caminhão frigorífico encontrado nesta quarta-feira (23) em um polígono industrial no leste da Inglaterra com 39 corpos havia chegado ao país após sair da cidade de Zeebrugge, na Bélgica.

A investigação aponta que o veículo chegou a Purfleet, a 25 quilômetros de Londres, por volta de 0h30 (hora local) de hoje.

O veículo, conduzido por um homem de 25 anos da Irlanda do Norte, foi abandonado na região portuária às margens do rio Tâmisa, pouco depois de 1h05 (hora local), de acordo com as investigações da polícia do condado de Essex.

O motorista foi preso como suspeito de assassinato e presta depoimento para tentar esclarecer o caso.

Por volta de 1h40 (hora local), o serviço de ambulâncias da região leste da Inglaterra entrou em contato com a polícia informando ter encontrado 39 pessoas mortas dentro do contêiner frigorífico de um caminhão no Waterglade Industrial Park.

Em um comunicado, as forças de segurança acrescentaram que a cabine do caminhão tem origem na Irlanda do Norte, enquanto o contêiner foi registrado na Bulgária.

"Esta será uma longa e complexa investigação. Continuamos trabalhando com autoridades locais e internacionais para reunir as informações necessárias e identificar àqueles que tristemente perderam a vida", afirmou um porta-voz da polícia britânica.

Entre as primeiras hipóteses, os agentes investigam se o episódio está vinculado ao tráfico de pessoas e se o veículo, através da Irlanda, teria seguido um caminho diferente ao das vias frequentemente usadas para levar imigrantes ilegais ao Reino Unido, evitando os movimentados portos de Dover e Calais, os mais vigiados.

A Promotoria Federal da Bélgica abriu hoje uma investigação sobre o caso, por considerar que o contêiner onde estavam os corpos passou pelo território do país.