Policiais se declaram inocentes em caso de agressão a idoso em Buffalo

Aaron Torgalski e Robert McCabe foram apontados como responsáveis pelo empurrão que feriu gravemente o manifestante de 75 anos

Torgalski (à esq.) e McCabe são acusados de agressão em segundo grau

Torgalski (à esq.) e McCabe são acusados de agressão em segundo grau

Erie County District Attorney's via Reuters - 6.6.2020

Dois policiais que aparecem em um vídeo empurrando um idoso de 75 anos durante um protesto contra o racismo e a violência policial em Buffalo, estado de Nova York, se declararam inocentes à Justiça. Eles foram acusados formalmente de agressão em segundo grau, que de acordo com as leis estaduais quer dizer um tipo de violência cometida com a intenção de causar ferimentos em outra pessoa.

Na quinta-feira, Martin Gugino participava dos protestos na praça Niagara Square, no centro de Buffalo, quando foi empurrado por dois policiais, caiu de costas e bateu a cabeça no chão. O idoso desmaiou na mesma hora e ficou sangrando na calçada.

No vídeo captado por uma equipe de TV, é possível que o resto da tropa não para sua marcha e passa ao largo de Gugino que está caído no chão, enquanto as pessoas gritam que ele tem sangue saindo pelos ouvidos.

*** Atenção! Imagens fortes. ***

De acordo com as autoridades de Nova York, Gugino está internado em estado grave, mas estável.

Torgalski e McCabe fazem parte da Equipe de Respostas a Emergências da Polícia de Buffalo e foram suspensos sem direito a salário ainda na quinta-feira. Em protesto pela decisão da prefeitura, 57 membros da equipe pediram demissão.

O governador do estado de Nova York, Andrew Cuomo, defendeu a demissão dos dois policiais. “Eu fiquei nauseado”, disse Cuomo sobre ter assistido ao vídeo. “Foi a mesma sensação que eu tive nas últimas 90 noites quando eu vi o número de mortos por coronavírus."