Protestos no Iraque já somam 20 mortos e centenas de feridos

Entre os feridos estão 87 integrantes das forças de segurança. Ativistas apontam que 132 pessoas foram detidas desde terça-feira

Iraque registra semana de manifestações

Iraque registra semana de manifestações

Thaier al-Sudani/ Reuters - 2.10.2019

As manifestações dos dois últimos dias no Iraque, em prol de melhores serviços básicos no país, já deixou 20 mortos e quase 600 feridos, segundo informou a rede de notícias árabe Al Jazeera nesta quinta-feira (3). A capital, Bagdá, segue sendo palco de mais dois protestos, apesar do toque de recolher imposto.

Entre os feridos estão 87 integrantes das forças de segurança, de acordo com Ali al Bayati, membro da Comissão de Direitos Humanos do Iraque, que detalhou que 132 pessoas foram detidas desde terça-feira nos protestos contra a corrupção, o desemprego e em busca de melhores serviços públicos, como eletricidade e água potável.

Alguns manifestantes pediaram diretamente a queda do governo do primeiro-ministro Adil Abdul-Mahdi, formado há um ano com um perfil tecnocrata para encarar os problemas econômicos do Iraque após anos de conflito e uma corrupção generalizada.

Embora as autoridades tenham determinado o toque de recolher e restringido o acesso à internet na capital, nesta manhã ocorreram manifestações em pelo menos dois lugares.

Este é o terceiro dia consecutivo de protestos. Nos dois primeiros dias, as manifestações terminaram em confrontos com as forças de segurança, que responderam com tiros para o alto, jatos de água e gás lacrimogêneo ao lançamento de pedras e garrafas vazias.