Internacional Putin diz que caso de impeachment contra Trump é 'fabricado'

Putin diz que caso de impeachment contra Trump é 'fabricado'

Em sua coletiva de imprensa de fim de ano, presidente da Rússia disse que acredita que Trump sobreviverá ao processo e continuará no cargo

putin impeachment trump

Digite a legenda da foto aqui

Digite a legenda da foto aqui

Evgenia Novozhenina / Reuters - 19.12.2019

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, disse nesta quinta-feira (19) que os democratas dos Estados Unidos aprovaram o impeachment do presidente Donald Trump na Câmara dos Deputados com razões "fabricadas" para reverter sua vitória eleitoral de 2016.

Falando em sua coletiva de imprensa de fim de ano, Putin disse que acredita que Trump sobreviverá ao processo e continuará no cargo.

A Câmara votou a favor do impeachment na quarta-feira, mas Putin, como a maioria dos observadores, disse crer que o Senado dos EUA, de maioria republicana, absolverá o presidente.

Impeachment é 'batalha interna'

"É improvável que eles queiram afastar do poder um representante de seu partido com base no que, em minha opinião, são razões completamente fabricadas", disse Putin.

"Isto é simplesmente uma continuação da batalha política interna (dos EUA), na qual um partido que perdeu uma eleição, o Partido Democrata, está tentando obter resultados usando outros métodos e meios", acrescentou.

"Primeiro eles acusaram Trump de uma conspiração com a Rússia. Depois se viu que não havia uma conspiração e que isso não poderia ser a base do impeachment. Agora eles fantasiaram algum tipo de pressão sobre a Ucrânia".

Putin diz que EUA tomou 'medidas não amistosas'

Apesar disso, Putin criticou os EUA em geral pelo que classificou como medidas não amistosas contra a Rússia, dizendo que Moscou adotou a diretriz de reagir com a mesma moeda.

Ele se queixou em particular do que disse ser uma recusa para responder às propostas russas para renovar o tratado de controle de armas Start, que limita o número de ogivas nucleares estratégicas que as duas maiores potências atômicas do mundo podem mobilizar.