Internacional Putin ordena redobrar esforços para controlar incêndios na Sibéria

Putin ordena redobrar esforços para controlar incêndios na Sibéria

Mais de 4.200 bombeiros atuam na região que teve 8,68 milhões de hectares de florestas destruídas pelas chamas

AFP
Bombeiros russo combatem os incêndio que consomem as florestas de Yakutia, na Síberia

Bombeiros russo combatem os incêndio que consomem as florestas de Yakutia, na Síberia

EFE/EPA/MINISTRY OF NATURE PROTECTION OF YAKUTIA

O presidente russo, Vladimir Putin, determinou nesta terça-feira (10) que se redobrem os esforços para controlar os incêndios em Yakutia, na Sibéria, onde a situação se agrava, e o fogo já queimou 8,68 milhões de hectares de florestas.

Putin ordenou ao Ministério de Situações de Emergência que "aumente o dispositivo encarregado de combater os incêndios" nesta imensa e pouco povoada região do norte da Sibéria, disse o Kremlin, em um comunicado.

No momento, mais de 4.200 bombeiros se encontram mobilizados, relatou a administração local do Ministério.

Rússia combate 124 incêndios florestais na Sibéria

Mas a situação "continua sendo muito difícil", alertou a agência meteorológica russa, Rosguidromet, em seu site nesta terça-feira.

De acordo com a Agência federal de Proteção Florestal, cerca de 8,68 milhões de hectares de florestas foram devorados pelas chamas.

Em um comunicado divulgado no sábado (7), a Nasa, a agência espacial americana, relatou que a fumaça destes incêndios "percorreu mais de 3.000 quilômetros até chegar ao Polo Norte, o que parece ser a primeira vez na história documentada".

Durante uma visita a Yakutia no final de julho, os bombeiros e as autoridades locais disseram à AFP que não têm homens, equipamentos e outros recursos suficientes para lidar com o incêndio.

Ambientalistas questionam a política russa de extinção de incêndios florestais, incluindo um decreto do governo de 2015 que permite às autoridades locais ignorar os incêndios, se o custo de apagá-los exceder os danos estimados.

Muitos especialistas advertem que as mudanças climáticas e a consequente elevação das temperaturas aumentam a probabilidade e a intensidade desse tipo de catástrofe.

Os pontos principais do relatório sobre o clima divulgado pelo IPCC

Últimas