Reino Unido

Internacional Reino Unido planeja 'esquema militar' diante de 'hostilidade' russa

Reino Unido planeja 'esquema militar' diante de 'hostilidade' russa

Primeiro-ministro Boris Johnson apresentará 'a maior oferta possível' de caças, navios e especialistas do Exército

Agência EFE
Primeiro-ministro Boris Johnson apresentará 'a maior oferta possível' de caças e navios

Primeiro-ministro Boris Johnson apresentará 'a maior oferta possível' de caças e navios

Daniel LEAL / AFP

O Reino Unido se oferecerá à Otan nesta semana para contribuir com um "grande esquema militar" a fim de "fortalecer as fronteiras da Europa" diante da "hostilidade" da Rússia, antecipou o governo britânico neste sábado (29).

O primeiro-ministro Boris Johnson apresentará "a maior oferta possível" de caças, navios de guerra e "especialistas militares" do Exército britânico às operações da Aliança Atlântica, detalhou um comunicado de Downing Street.

"Ordenei a nossas Forças Armadas que se preparem para se deslocar para a Europa na próxima semana, para garantir que estamos prontos a apoiar os nossos aliados da Otan por terra, mar e ar", disse Johnson.

Representantes do governo britânico se deslocarão a Bruxelas nos próximos dias para finalizar, com os parceiros da Otan, os detalhes do "possível destacamento" de tropas, disse Downing Street, enquanto o gabinete discutirá as "opções militares" sobre a mesa nesta segunda-feira (31).

Se o presidente russo Vladimir Putin "escolher um caminho de derramamento de sangue e destruição, será uma tragédia para a Europa", mas "a Ucrânia deve ser livre para decidir o seu futuro", argumentou Johnson.

Os planos de Londres incluem a duplicação do número de tropas que atualmente mantém na região e o envio de mais "armamento defensivo" à Ucrânia. O Reino Unido tem atualmente mais de 900 militares na Estônia, mais de cem na Ucrânia e 150 na Polônia. Os novos recursos agora fornecidos pelos militares britânicos deverão servir para "reforçar as defesas da Otan" e "sustentar o apoio aos parceiros nórdicos e bálticos", descreveu o governo.

"Este pacote enviará uma mensagem clara ao Kremlin: não toleraremos as atividades desestabilizadoras e estaremos sempre ao lado dos nossos aliados da Otan para enfrentar a hostilidade da Rússia", acrescentou o premiê.

Johnson planeja conversar com Putin por telefone nos próximos dias e também pretende fazer uma visita à região, cujos detalhes ainda não foram anunciados.

Últimas