Internacional Rússia pagará "preço elevado" se invadir a Ucrânia, diz Scholz

Rússia pagará "preço elevado" se invadir a Ucrânia, diz Scholz

Tensão cresceu na fronteira entre os dois países após governos ocidentais acusarem o Kremlin de preparar uma invasão

AFP
O chanceler alemão Olaf Scholz  fala em uma conferência de imprensa em Varsóvia

O chanceler alemão Olaf Scholz fala em uma conferência de imprensa em Varsóvia

Janek Skarzynski/AFP - 12.12.2021

A Rússia pagará um "preço elevado" em caso de violação das fronteiras ucranianas, advertiu nesta quarta-feira (15) o novo chanceler da Alemanha, Olaf Scholz.

"Permitam-me, se todos ainda não compreenderam, repetir aqui o que minha antecessora (Angela Merkel) disse: qualquer violação da integridade territorial terá um preço, um preço elevado", disse Scholz no Parlamento.

O chefe de Governo também expressou "grande inquietação" com a situação na fronteira entre Rússia e Ucrânia, em um momento de temores de invasão por parte das tropas de Moscou.

O leste da Ucrânia é cenário, desde 2014, de uma guerra com os separatistas pró-Rússia, supostamente ajudados pelo Kremlin. Um conflito que começou depois da anexação pela Rússia da península da Crimeia e que deixou mais de 13 mil mortos.

Nas últimas semanas, a tensão aumentou: os países ocidentais acusam o Kremlin de preparar uma invasão à Ucrânia e intensificam os alertas à Rússia.

Últimas